Ame, mesmo que seja você

Talvez você me tenha como um bom amigo. Talvez nem saiba que existo. Quem sabe, você também me ame, mas por algum motivo preferes não dizer. Talvez tenha medo, receio, ou simplesmente está se vendo nessas palavras. Imaginando que somos imperfeitos um para o outro, e que essa imperfeição é o que torna tudo mágico.

Morte

Morrer é perder-me na vastidão do teu corpo Tocar as estrelas com o toque da tua boca na minha pele Morrer é esquecer-me da ânsia da tua existência Morrer é tocar os teus lábios, Salgar minha pele na tua, Afogar-me nos teus beijos

Versando o Sertão

Belo tão risonho sempre vem surgindo longe Abraçando todo mundo com sua amplidão Nunca falta nenhum dia Cumpre sua obrigação Não recebe um centavo por sua ação Acordo todo dia e parte bem cedo pra lida Carpe, luta, geme, deixa seu suor ao chão

Destruir Mitos para Reacender uma Paixão

Hoje em dia, a moda é a incredulidade. Descrer dos fatos, da história, dos contos, das verdades intrínsecas; descrer da amizade, do amor recíproco, da caridade e da justiça, dos relacionamentos; da política, da economia, da religião etc.; a moda é descrer ao ponto de destruir os valores advindos desses, levando-os a estaca zero, sem ao menos repensar a primazia destes para a sociedade e a vida. ‘Quase sempre’ essa crise de valores sobrecarrega as pessoas e as tonam menos vivas em si e mais manipuladas e subjugadas.