Transcendência

Com raríssimas exceções, os grandes pensadores da história da humani­dade concordaram que o bicho homem é essencialmente um ser trans­cendente, que não pode encontrar sua realização neste mundo da imanência e que, portanto, como disse Fyodor Dostoyevsky, carrega no coração "um vazio do tamanho de Deus" e que vive repetindo a oração de Agostinho, chamado Santo: "O Deus, inquieto bate meu coração en­quanto não descansar em ti".