Ir para conteúdo
Anúncios

Mordidas iluminadas

Mordidas na alma, que por muitas vezes parecem inexistentes de tão absurdas, sem nexo e conexão com os sentimentos humanos, passam por nós, para mostrar caminhos que até então não imaginávamos. A partir desse momento, caem as mascaras, fecham-se as cortinas do espetáculo e você entra na vida real.

Anúncios

Onírico

Quando eu dormir
Eu te esqueço
Quando eu dormir
Eu me aqueço
Do apreço
Do peso
Das tuas mãos
Do teu corpo

Mãe

Mãe, quanto tempo sem você.
Sem você aqui neste mundo.
Como foi grande seu sofrer!
Sei que foi muito profundo!
Naquele dia dez de setembro,
De mil novecentos e noventa.

Na bússola de Deus

Eu nunca tive uma prova de que Deus existe.
Evidências e argumentos que demostram a existência de Deus só revelam a ignorância do pensamento humano diante o que NÃO EXISTE.
Deus não existe.
As coisas existem, nós existimos…

Caboclo Solitário

Eu e a luz de um lampião
pego minha viola e ponteio uma canção
Gosto da vida rústica do sertão
Não me importa nem um pouco
Se tem cama ou colchão
Não me importa nem um pouco
Se tem cama ou colchão

Clarão

​Luz que não se apaga​
se esconde no horizonte
Fugindo do olhar
Fez sua cama atrás do monte
Dormindo

Espera

Silêncio
Madrugada
Escuro
Voz da alma
Pensamentos
Sussurros

Silêncio Tecnológico #10 – Preocupações

A rotina precisa ser interrompida
As preocupações, varridas
As responsabilidades, por um momento esquecidas
Nada se resolve querendo controlar tudo
Tampouco nada se resolverá sem que hajam ações

Silêncio Tecnológico #9 – Companhia das Letras

As letras precisam de companhia, precisam?
As letras são expressões
Verbalizações, externalizações
Tentativa de descrição
Elas são o risco que corremos
De tentar compartilhar
As letras sempre demandam uma companhia

Silêncio Tecnológico #7 – A lógica ilógica desse mundo

A lógica é seguir a maioria
Ser mais um no meio da multidão
Se juntar aos milhares reunidos na praça
Ver no mínimo o porque de tal reunião
O fato é que as identidades estão apagadas
Reduzimos nosso caráter às massas
Nos tornamos manipulados pelas mídias
Somos ratos de laboratório de quem influencia

Silêncio Tecnológico #5 – Sobrevivência

Quando o pão e o amor estão em jogo
Quando o mundo é pequeno demais para os dois
O que escolher? Em que se arriscar?
Morro amando?
Ou vivo sem amor?
Escolho o pão ou escolho o amor?

Silêncio Tecnológico #3 – Nove Horas

Nove horas é tempo de silenciar
Adormecer, emudecer
Começar sob nova perspectiva
Aprender a reaprender
Ressignificar o dia
Restaurar os sentidos
Outrora limitados pelo “avanço”!