Palavras

Na ausência das palavras, Eu só fico a me encantar. Quero em sonho mais profundo Em seus lábios me afogar A margarida é por vida A mais bela e simples flor Amarga a vida me seria Se não fosse o seu amor.

Bela figura

Você, a melhor gradação entre o vestido e o nu e que me concede a sós, suas melhores e mais longas assonâncias... Hora essa que não me permite nenhum tipo de eufemismo. Você, que só em metonímia em seus olhos, que mostra ao mundo que é você E que nada tem de comparação por ser tão singularmente você.

EOP #1: Amar o outro como a si mesmo

Em outras palavras, amar o outro como a si mesmo é tratar o outro como nós gostamos de ser tratados, dar a preferência no trânsito para o outro (ser gentil), fazer o outro se sentir a vontade em nossa casa, colocar o que somos e temos à disposição para quem precisa de socorro, é promover o bem, a alegria, a satisfação do outro, é lavar os pés (servir), é querer a cura do outro e contribuir para que ela aconteça, é corrigir (criticar, chamá-lo à lucidez, ajudá-lo a encontrar o caminho da paz), é sofrer com o outro (estar junto, ter empatia, se colocar no lugar do outro).

Pensamentos Aleatórios #2

Minha filhinha Sophia (3 aninhos) chegou pra mim e disse: Pai, a professora disse que todos da sala são amiguinhos, mas a Bruna disse que eu não sou amiguinha dela. Daí eu dei um coraçãozinho que eu tinha na mochila pra ela. Eu perguntei: Você gosta da Bruna, filha? Ela respondeu: Sim, papai! Daí é impossível não lembrar de: Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 e ainda, Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem. Romanos 12:21. É tão simples, que até uma criancinha sabe!

Prefiro

Eu prefiro descentralizar a centralizar, eu prefiro dar oportunidade de desenvolver líderes a fossilizar uma liderança, eu prefiro ajudar onde não há talentos, do que me aninhar onde já tem gente de sobra, eu dou prioridade a novos desafios e desprezo os velhos mapas. Eu prefiro servir onde não há muitas habilidades e ajudar onde eu faço a diferença.

Pela fé

Não somos chamados a viver a esmo, à mercê dos ventos, como camaleões que se adaptam a tudo e todos para não desagradar a ninguém, vivendo sem identidade. Somos chamados à uma construção interior que nos torne seres humanos mais autênticos, mais parecidos com o Filho de Deus que, enquanto esteve em carne e osso aqui, ensinou como é ser gente de verdade!