Tá doendo

É tanta gente dolorida, e as razões para isso são as mais diversas: a perda de um ente querido ainda na infância ou de uma referência familiar até mesmo na vida adulta, os desencontros no amor, a falta de ânimo, a ausência de perspectiva, uma doença sorrateira e inesperada, um medo inexplicável e insistente. … Mais Tá doendo

O Concilio do Vaticano II e a Constituição sobre a sagrada liturgia

No dia 28 de Outubro de 1958, no conclave que se seguiu à morte de Pio XII, foi eleito Papa o Cardeal Ângelo Roncalli, que tomou os nome de João XXIII. Foi uma surpresa para muita gente. Uma surpresa também o nome adoptado. Depois dos Pios e dos Gregórios e
dos Leões, um Papa do século XX passava a usar um nome bíblicoo nome de um dos doze Apóstolos de Jesus Cristo. Era como que um remontar às nascentes. Esse acontecimento foi a convocação do Concílio Vaticano II. … Mais O Concilio do Vaticano II e a Constituição sobre a sagrada liturgia

Revista Época – Os novos evangélicos

Estima-se que haja cerca de 46 milhões de evangélicos no Brasil. Seu crescimento foi seis vezes maior do que a população total desde 1960, quando havia menos de 3 milhões de fiéis espalhados principalmente entre as igrejas conhecidas como históricas (batistas, luteranos, presbiterianos e metodistas). Na década de 1960, a hegemonia passou para as mãos dos pentecostais, que davam ênfase em curas e milagres nos cultos de igrejas como Assembleia de Deus, Congregação Cristã no Brasil e O Brasil Para Cristo. A grande explosão numérica evangélica deu-se na década de 1980, com o surgimento das denominações neopentecostais, como a Igreja Universal do Reino de Deus e a Renascer. Elas tiraram do pentecostalismo a rigidez de costumes e a ele adicionaram a “teologia da prosperidade”. Há quem aposte que até 2020 metade dos brasileiros professará à fé evangélica. … Mais Revista Época – Os novos evangélicos

The Dones #12 – Manejo da verdade

É por isso que um dos sinais reveladores de alguém que cresce na verdade é a humildade. Saber que eles vêem vagamente a realidade de Deus permite que eles a abracem levemente e não busquem forçá-la aos outros. O seu tom expressa que este é o melhor que eles vêem hoje, e que essa não é a única maneira pela qual um filho verdadeiro de Deus vê-lo. Quando você ouve esse tipo de linguagem dogmatizadora, afaste-se. Esses são aqueles que conhecem a doutrina melhores do que conhecem a Ele. Encontre aqueles que podem discutir a diferença de opinião graciosamente, sabendo que o amor, e não o julgamento, é a melhor maneira de ajudar as pessoas a descobrirem a verdade e que o crescimento na verdade tem mais a ver com aprender a depender Dele do que acumular conhecimento intelectual sozinho.
Mais The Dones #12 – Manejo da verdade