Ir para conteúdo
Anúncios

Categoria: Reflexões em Áudio

Áudio #44 – Chamados a Enxergar e Valorizar os Invisíveis

Há pessoas invisíveis ao nosso redor. Gente ignorada, à margem, desconsiderada, desvalorizada, por sua função, beleza ou por causa de seu nível de instrução e de riquezas materiais. São pessoas que varrem as ruas, dormem em caixa de papelão, vendem balinha no sinaleiro, pessoas que pra muitos são apenas “acessórios” do cenário da humanidade.

Anúncios

Áudio #43 – Vencendo o passado doloroso

Todos nós temos em nossa história de vida decisões que gostaríamos que não tivéssemos tomado, e por vezes, nosso passado nos assombra através da culpa, da inquietação, da ansiedade, gerando em nós escravidão e morte. Muitos são escravos de seu próprio passado. 

Áudio #41 – Fabricantes de Ídolos

O grande antídoto contra a idolatria é substituirmos a adoração ao nosso ego pela admissão de que o único merecedor da glória e honra é o Senhor. “Não a nós, não a nós, nenhuma glória para nós, mas, ao teu nome!” Nossos ídolos psicológicos são criados à nossa imagem e semelhança, por isso não tem vida em si mesmos e estão presos a nós (eles precisam de nós); mas Deus é livre, está acima de tudo, não cabe em caixinhas ideológicas, tem pensamentos que se sobrepõem aos nossos, pois sua perspectiva é eterna e não limitada ao aqui e o agora.

Áudio #40 – Aceitem os mais fracos na fé

Não somos chamados a sermos juízes sobre o outro, pois cada um prestará contas de si mesmos a Deus. Portanto, há questões e circunstâncias que não cabem ficar discutindo, assuntos controversos, especialmente quando não se está disposto a praticar aquilo que está claramente ensinado como “decisões do evangelho”. Nesse sentido, Paulo orienta: “Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos”. 

Áudio #38 – Situações limitantes? Adapte-se!

Pense aí em todas as situações limitantes que você enfrenta? Se adapte! Nossa tendência é sempre ficarmos focados naquilo que não possuímos, e mais, muitas vezes vivemos sob a velha condição do ideal dizendo: “Quando a situação for ideal, farei isso ou aquilo”.

Áudio #36 – A minha caminhada no Caminho

O Caminho, a Verdade e a Vida é uma pessoa, não é um conceito, não é uma doutrina, é alguém que nos chama a andarmos juntos, a vivermos experiências cotidianas de aprendizado pelo relacionamento. 

Áudio #35 – Nós e as nossas demandas

Inspirado numa pergunta de um amigo, essa mensagem é sobre: Nós e nossas demandas diárias. Nós temos demandas que vêm até nós, sem a nossa “permissão” ou mesmo “vontade”, situações que fazem parte das contingências da vida e há outras que nós vamos até elas, por causa dos nossos ideais, dos nossos valores e prioridades.

Áudio #34 – Comunidade edificada pelos irmãos unidos

Há em nossos dias comunidades que são conduzidas de forma unilateral, ou seja, uma ou duas pessoas determinam os rumos da mesma e os demais passivamente acatam e os seguem, e há também comunidades que fazem inclusão de pessoas sem reflexão, transformam a desordem e a irracionalidade numa tradição.

Áudio #33 – Jesus não era próspero

Se para nós prosperidade é acumular riquezas, ser bem-sucedido socialmente, possuir privilégios financeiros que outros não possuem, fazer tudo o que “dá na telha” e comprar tudo o que os “desejos” determinam, então Jesus nunca foi próspero e mais, ele combateu esse tipo de prosperidade. 

Áudio #32 – Praticar ou não praticar eis a questão

“Assim, todo aquele que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem sábio, que construiu a sua casa sobre a rocha. E caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e bateram com violência contra aquela casa, mas ela não caiu, pois tinha seus alicerces na rocha. Pois, todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica é como um insensato que construiu a sua casa sobre a areia. E caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e bateram com violência contra aquela casa, e ela desabou. E grande foi a sua ruína”. 

Áudio #31 – Não enxergue a generosidade como injustiça

Quando começamos a nos comparar com os outros, passamos a enxergar a generosidade de Deus como sendo injustiça. Achamos que, porque fomos chamados para trabalhar na “vinha” de manhãzinha pelo salário de 1 denário, é injusto o dono da vinha dar ao outro que começou a trabalhar às 5 da tarde o mesmo salário. A generosidade do Pai nos incomoda muito, especialmente quando ela alcança quem nós jamais alcançaríamos.

Áudio #30 – Fazer sem Alarde

O que a sua mão direita faz, a esquerda não fique sabendo. Essa recomendação é uma forma de Jesus nos curar da nossa tentativa de associar o nosso valor próprio à opinião das pessoas. Quando contamos o que fizemos de bom aos outros, estamos reforçando uma imagem acerca de quem somos, para ganharmos reconhecimento, aplausos, respeito, ou seja, para recebermos benefícios secundários. Já quem faz em secreto está sob o olhar do Pai, e isso, para quem confia no Pai, já é o bastante!