Ir para conteúdo

Categoria: Amigos Mais Chegados

O poema e a alma

Não sou um deus
Nem, tampouco, ateu
Pois aquilo que é teu
Também faz parte de mim.
Vago por meio dos versos
Vago por meio das horas

Distância

Amor mando-lhe um beijo pelo vento,
busco seu olhar nas estrelas do firmamento…
Na vã esperança, de fazer-me presente
em seu pensamento.
Não só neste momento mas,
em todos os nossos instantes

Conquista

Vem me conquistar
Bem devagarinho
Que é p’ra não acabar
Nunca este carinho
Sim, sei, sou seu sabor
Seu sal, seu sol, seu suor

O último pirata

Por entre as águas de um mar turvo
Verde como o lodo
Caminho dos tesouros
Lá se vai o último pirata
Carregando em seu navio negro

Visitas

O tempo não parou
E a gente se “descuidou”
A mudança é nítida!
Visitas?!
Hummm… escassez
Falta tempo diz a maioria
Um corre corre todo dia!
A vida

Você se negaria?

Um ser formal, polido, sério, grosseiro, obsessivo quanto à inclinação de acabar com divertimentos, “pé no saco”, chato, bobo, um ser de propostas surreais e inconvenientes, defensor dos frustrados, cabeludo, gente fina, porém, ingênuo…
Tais são algumas das afirmações que eu ouço, principalmente dos amigos queridos da minha geração, acerca de Jesus.
Com toda sinceridade, eu concordo. Concordo com a aversão a esse jesus proferido pela religião, que viralizou como um ser do “tá no inferno” ou “tá no céu”. Um ser de análises julgadoras e irritantes. Um ser que faz de seus ensinamentos, um caminho mais entediante e desgraçado do que o do próprio inferno. Sim! Seguir o jesus das “casas de lambada” religiosas é o mesmo que viver o inferno! Inferno para si e para todos os que o cercam.

Como vai você?

Há dias e tempos que a mim parece que o melhor é não ver ninguém, mas, descobri que quando procedo assim, privo o outro de mim, como sou privado daqueles que agem assim.
Preciso aprender a me preservar sem, no entanto, impedir que o outro desfrute da minha presença, digo, do outro que me deseja por perto, do outro a quem faço bem estando perto.

Inspiração e Vida

Há momentos onde inspiramos e não encontramos inspiração.
Há outros que, de tão inspirados, não queremos que o ar nos salte dos pulmões.
A ‘vida’ parece gostar de nos ver ‘sem ar’; nos vendo puxar ao máximo fôlego para continuar em frente; e nós, gostamos por demais de encontrar o sopro que nos inspire a caminhar em ritmos, sons, paixões, sonhos…

Falsa Sombra

Com um porre talvez venha a vontade de delatar sobre minha vida, para se entender o quanto há verdades nas palavras de um sujeito bêbado e inútil.
É assim, me vêem, um ser sujo, bêbado, fedorento, largado e de poucos amigos, mais no fundo não suporto a hipocrisia humana de ter que viver de baixo de uma falsa sombra, norteada pelos desencontros de ser.

Capa de caderno

Ela olha bilateralmente
Seu bico negro aponta para a fonte dos sentimentos
Suas cores indicam um bom gosto intencional de quem cria
Quantas eras foram necessárias para se chegar ao ponto certo desta criatura?
De repente, tudo se transforma
O azul, amarelo,verde, branco, preto

É bem assim mesmo

É bem assim mesmo…
Deixa a fé tomar frente, assumir decisões consciente… Se necessário faça tudo diferente, confia, a coragem nos pertence! Somente ela nos permite arriscar.
Me recuso ser covarde!
É bem assim mesmo, nesse desiquilíbrio momentâneo é que a gente aprende o quanto somos poucos quando estamos sós.
Assumir as próprias falhas semelhantes aos que esperam perfeição de um ser simples humano.

Des-canso no descanso

Há em nós uma angústia fundamental. Angústia que é base à todas as angústias.
Não há ser humano que em algum momento de sua vida não experimentou ou vá experimentar tal queda existencial.
É quando notamos nosso ser , paulatinamente, afogando-se em um maremoto de oxigênios disponíveis.
É escolher o cárcere da não escolha.
É viver a escuridão de um nascer do Sol.

Abraçando coisas velhas

Quando era bem criança e corria no pomar
Descobria coisas lindas sobre mim
Desejava ser tão grande e ficava a sonhar
Como dia em que nada terá fim
Mas os dias vão passando
E o tempo se acabando

Cristão

Ser cristão é ser uma ilha em meio a um mar de gente para nela aprender com Cristo assim como Alexandre, o Grande, aprendeu com Aristóteles na terra de Mésia antes de conquistar o Oriente.
Ser cristão é “cultivar a mais linda roseira que há” no terreno do nosso coração. Mas para isso é necessário que esse terreno seja fértil, é necessário humildade, pois pela origem etimológica da palavra, humildade vem da palavra “húmus”, ou seja, o alimento de toda planta para poder florescer. Os espinhos são bem doloridos no início, mas eles não machucam, pois são curativos. Os espinhos causam a dor necessária que toda pessoa deve sentir ao se corrigir, para que a transformação não seja esquecida tão facilmente.

O que vou fazer 2017?

O que fiz em 2016 e todos os dias da minha vida.

Acordar cedo e vencer a mim mesmo.

Vencer minhas paralisias internas,

Vencer os obstáculos internos que eu mesmo crio,

Vencer meus medos, minhas fraquezas, meus temores,

Vencer o mal que há em mim,