Página 211 a 215

Não se põe vinho novo em odres velhos! A tentativa de fazer o vinho novo do evangelho se encaixar no odre velho das nossas religiões vai resultar em odre rasgado e vinho derramado no chão. O odre velho não suporta o vinho novo. Odre velho não se sustenta diante de vinho novo. Um pouquinho que seja da velharia do fermento dos fariseus é capaz de levedar toda a massa. Sendo assim, qualquer um que faça de sua missão de vida tentar “conciliar” o velho e o novo, acabará por perceber sua total incompatibilidade e inconciliabilidade.

E aí? O que achou da leitura dessas páginas desse livro? Deixe seu comentário com suas percepções logo abaixo!

1 comentário

  1. …”a graça só alcança quem não compete por ela, mas, simplesmente, a constata com gratidão.” sobre Caim e Abel, numa nota de rodapé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: