Página 11 a 15

Me parece que grande parte equívoco da cristandade nos últimos séculos gira em torno da má compreensão do que seja verdadeiramente a GRAÇA. O Caminho (que é Jesus) é da Graça, é cheio de Graça, é Graça sobre Graça! “Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade”. João 1:14

Quando a compreensão da Graça se desvirtua da retidão do seu caminho, a gente abre as portas para toda sorte de autojustificação e, em relação aos outros, vivemos da presunção de querer nos assentar na cadeira do Supremo Juiz, só que sem a Justiça que provém de Seu Amor. A Graça então se transforma em um termo esvaziado, que enfeita os discursos, porém sem nunca realizar o fruto de sua real manifestação. É graça na palavra, mas não na ação. É graça como acessório na falação, mas não como visceralidade no trato cotidiano para com o próximo. A Graça se transforma em desgraça, pois estabelece um vício relacional de barganhas sem fim.

Nós destruímos a Graça (como consciência pacificadora) quando passamos a fazer barganhas com Deus e com o próximo. Com Deus, barganhamos querendo ser aprovados pela via do nosso comportamento moral, nos fazendo merecedores de Sua “graça”. Que trajédia! Com o próximo, barganhamos exigindo dele total enquadramento pra que seja digno de nosso amor, nossa companhia, nosso bem-querer, nossa atenção cheia de bondade. Nos tornamos esse “deus de barganhas” para o outro e o resultado é “inferno”!

A consciência da Graça é o que me dá tranquilidade para enxergar minhas fraquezas sem me sentir destruído, mas antes amparado por Deus em sua infinita misericórdia e Graça. Só dá pra dizer que “quando sou fraco aí é que sou forte” a partir dessa consciência. De outra forma, a nossa fraqueza seria o gatilho das dores mais profundas e infernais provenientes da culpa e da neurose pra com Deus e assim, teríamos medo da luz, por causa das nossas más obras. Esse tipo de relacionamento com Deus jamais traria paz, e muito menos paz que excede todo entendimento.

Vale afirmar nesse inicio de reflexão que a Graça é justamente a razão preponderante através da qual nós podemos nos relacionar em harmonia com Deus, mesmo na relatividade dos nossos pensamentos e ações. A Graça é reconciliadora, é mantenedora do universo, é o que sempre fez a ponte do caminho dos homens até Deus (mesmo quando eles não o sabiam). A Graça, portanto, nunca deveria ser um tema departamentalizado da teologia, pois antes de tudo ela é a fundamentação de tudo o que quer que exista no universo, visto que o que Deus é, Ele o é em Graça e tudo foi feito a partir dessa mesma Graça.

E aí? O que achou da leitura dessas páginas desse livro? Deixe seu comentário com suas percepções logo abaixo!

6 comentários

  1. A mente cauterizada é aquela que não consegue experimentar conversões diárias. Se converteu uma vez ao cristianismo e passou a viver como cristão histórico e não como um discípulo renascido.

  2. A graça que escorre da boca e vira prato sem suculência na boca dos neurotizados pela culpa, sempre vai ser um adereço cristão daqueles que buscam barganhar com Deus e com o próximo , sem graça de Deus, mas apenas com o rótulo, com a palavra, com o discurso des-graçado, que lança sobre o outro os fardos esmagantes da religião de Caim e da teologia indigesta de causa e efeito … A Graça é tudo, é culto, é louvor, é vida, é trato com a natureza, é Deus na cara do próximo…

  3. Quase-graça… Esse é o evangelho que conheci minha vida quase toda (até agora, né? ainda tenho muita vida pela frente rsrs)

    É uma neurose constante de culpa, medo e insegurança, com pequenos momentos de refrigério, paz e graça durante um momento de louvor, ou uma pregação ou outra mais recheada com mensagem de graça. Mas depois voltava todo o peso novamente, ora Quase-Lei / ora Quase-Graça.

    Considero tudo que aprendi como adubo (esterco hehe), para encontrar agora o evangelho da Graça (não a quase-Graça), em Cristo.

  4. É o que venho chorado a sua Graça me basta ,
    Linda leitura , me fez regozijar , agradecer , e fazer um re- exame como fala na leitura ,
    Que mesmo na graça que é o favor imerecido
    Me pego em pensamentos ingratos ,
    E logo penso, em um louvor ou uma situação na qual o Senhor me ajudou , uma pregação.
    Estou em constante aprendizado , e sigo na ânsia de busca a atualização da palavra de hoje

  5. Conhecer quem somos e a quem seguimos nos livra do medo, da culpa, da neurose.
    É tanto amor que não consigo imaginar e nem mensurar.
    A Graça do Pai é a garantia do elo de amor entre o Pai e a humanidade.

  6. Graça salvadora do Senhor Jesus Cristo venha até nós por meio da fé a fé que foi revelada na cruz isso sem barganhas a fazer. Por causa da Graça e do amor nos não precisamos A B ou C. De fato o amor da tua graça nos basta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: