Página 5 a 8

A nova minoria

A minoria dos sensatos é o grupo de pessoas mais incompreendido da face da terra. O sensato não entra nas competições e guerras que a tendência majoritária entra. O sensato não abdica da liberdade de pensar com honestidade e coerência. Os vários pontos de vistas sobre a realidade são considerados, refletidos, repensados pelo sensato, sem medo das sínteses que essa avaliação há de realizar. O sensato tem uma indisposição interior de dar vazão às vaidades, pois vive num outro espírito, numa outra frequência, com objetivos que as bobagens não são capazes de alcançar. Sensatez é oposta à ignorância, ao fanatismo e à violência.

Vende frango-se

Essa crônica é um convite à tolerância e à percepção da pluralidade da vida. O erro de português do outro não é, em nada, diferente dos deslizes que cometemos no cotidiano em outras instâncias. Erros são erros, alguns erros são muito inocentes e inofensivos. No afã de sermos muito caprichosos na vida acabamos não nos permitindo errar, ficamos extremamente exigentes com a gente e perdemos a oportunidade de rir das nossas traquinagens. Quem nunca vestiu uma camisa do lado contrário, saiu de casa com pasta de dente no rosto, esqueceu de pentear o cabelo, trocou o nome de uma pessoa que você jurava que sabia qual era, passou o carro numa poça de água que molhou um sortudo da calçada?! Somos perfeitamente imperfeitos e há uma graça interessante nisso também!

E aí? O que achou da leitura dessas páginas desse livro? Deixe seu comentário com suas percepções logo abaixo!

6 comentários

  1. O ser imperfeito é uma dádiva isso quer dizer que estamos no caminho certo. Na vida, em nossa história criamos e refazemos histórias. Mas de verdade o que queremos é ser perfeitos. Mas perfeitos apenas o Senhor pode ser. Só Ele. Graças a Deus 🙏 pela nossa imperfeição diária que de fato nós faz gente melhor.

    1. Sensatez e imperfeição, uma mistura saudável para o ser humano. A comunidade dos sensatos, mesmo que dispersada entre a sociedade, tem a capacidade de germinar flores em seu caminho. Que possamos nos permitir errar, aprender com o erro, e disseminar o melhor para o amanhã do próximo.

  2. A verdade é que vivemos competindo, sempre queremos ganhar, ser o melhor, o senhora ou senhor, perfeito!
    Isso é coisa do ego.
    Ser sensato é fora do ego, é respeitar as diferenças, não impor sua verdade, rir de seus próprios erros.

  3. Fui educada rigidamente para ser perfeita. Qualquer pequeno deslize era motivo para ser punida.
    Crescimento sendo severa demais comigo mesma e com quem me cercava.
    Quando compreendi a graça libertadora com a qual fui alcançada, a vida se tornou mais, o fardo perdeu o peso.
    Aprendi a rir dos meus erros e a ser mais tolerante com todos.
    Viva a imperfeição!
    Viva o direito de se permitir errar-se! Rsrs

    1. Errei no comentário acima kkkk

      Onde está ‘crescimento sendo’, era pra ser “cresci sendo” …
      Como profissional das letras, esses erros pesam em minha memória crítica kkkkk

  4. Os dois textos foram maravilhosos. Os sensatos estão quase em extinção? Às vezes parece que sim… Mas os sensatos estão por aí, na vida, em algum lugar. De vez em quando a gente se esbarra (nem que seja aqui, virtualmente, num grupo de leituras).

    E o texto do erro também é interessante. Como a Lia comentou sobre a infância dela, eu vivi algo parecido. Cresci na igreja, aprendendo que eu deveria ser perfeito… Tenho tentado. Mas sempre me frustro. Estou entendendo que sou imperfeito e definitivamente relativo. Só Jesus foi um ser humano totalmente íntegro e perfeito.

    E agora sigo vivendo, ora na minha imperfeição, ora na minha sensatez.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: