Página 8 a 10

Em Cristo Jesus a dívida que tínhamos foi absolutamente paga! Os espinhos da vida são sempre condições temporárias, pois nossa essência e realidade eterna é e está sendo completamente liberta de qualquer forma de espinho. Os espinhos da coroa de Jesus caíram na cruz! Conforme vamos crescendo nessa consciência, algumas coisas que causavam dor e sofrimento não causam mais, e outras dores que eram insuportáveis estão, pouco a pouco, recebendo de nós uma reação mais lúcida que relativiza e ameniza muitas dessas latências. Até aquele grande dia, em que não haverá mais dor, choro, luto, morte!

O processo de pagamento dessa dívida que tínhamos foi o mais cruel possível. Coroa de espinhos, tortura, espancamento, ofensas gratuitas, humilhação após humilhação; sem contar a dor imensurável sentida na carne. O brado de angústia “Meu Deus, porque me desamparastes?” atesta isso!

É na confiança no que Jesus ensinou e sobretudo no significado do que Jesus fez na morte e ressurreição que conseguiremos lidar com nossos espinhos de forma que eles não sejam mortais ao nosso próprio coração. No mundo teremos aflições, ou seja, os espinhos ainda existirão dentro da nossa existência; mas tenham bom ânimo, os espinhos não venceram Jesus e não vão nos vencer também!

A vida é espinhosa, mas cheia de graça! Os espinhos da vida são de uma diversidade sem fim, são dores de todos os jeitos, intensidades e naturezas. Latências relacionadas à vida, ao cotidiano, às relações humanas; latências relacionadas ao luto, à perda e à morte. Mas, pra cada tristeza há uma graça disponível! Graça do aprendizado, graça da superação, graça da renovação, graça do perdão, graça da cura, graça da pacificação. Onde abundou o espinho, superabundou a realidade da Graça dentro e fora de nós. No mundo tereis espinhos, mas tenham bom ânimo, a graça venceu o mal!

E aí? O que achou da leitura dessas páginas desse livro? Deixe seu comentário com suas percepções logo abaixo!

4 comentários

  1. Louvado seja Deus por que Cristo levou sobre ele todas minhas chagas, ( cardos e abrolhos).
    Paulo tinha um espinho na carne, orou e continuou com o espinho, mas aquele espinho o fazia humilde e dependente de Deus.
    As vezes também podemos ter um espinho que irá nos manter nessa dependência e humildade de Deus, mas, nunca será motivo de sofrimento, dor e murmurações, esse não é o propósito de Deus para sua vida!
    Os espinhos que estão em nossas vidas colocados por nós, cabe a nós tirarmos, e não culparmos a Deus, nos vitimizando.
    Sabedoria em viver a vida em plenitude de espírito, contente em toda e qualquer situação, dar graças por tudo, essa é a essência!

  2. Em Cristo Jesus nós podemos ser livres. Filme entendo que por mais que a gente esteja passando por um momento difícil na nossa vida em Jesus nós já vencemos que a vitória foi dada na cruz. Todo e qualquer espinho na carne já foi vencido. Não existe mais fraqueza não existe mais dor não existe mais sofrimento. Nós estamos em Cristo e no seu amor tudo vai bem. Como Aquela( música não a minha vontade mas a tua Senhor. )

  3. Hoje me lembrei de uma canção que diz de Jesus:

    “És o meu alívio
    Tudo o que eu preciso bem aqui comigo pra eu continuar
    Que me impulsiona todos os dias pra eu não parar
    Tu és o motivo, Jesus, que eu tenho pra avançar

    És o meu alívio
    A força e o ânimo que eu necessito pra prosseguir
    Se eu não desisti, o motivo, é porque sempre esteve aqui
    Nos piores momentos dizendo que nunca desiste de mim
    Pra onde eu irei se o que eu preciso só encontro em ti?”

    É isso. Temos espinhos, sofrimentos e aflições. Isso não dá pra negar. Mas encontramos alívio em Cristo.

    (Pra quem não conhece, a música é “Alívio”, de Jessé Aguiar)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: