Página 9 a 12

O paradoxo está posto: quem busca a alegria pela alegria, prazer pelo prazer, buscando nisso o sentido de viver colherá desgosto e amargura. Como pode ser assim?! Quem busca incessantemente desfrutar de tudo o que considera bom, acaba sendo marcado por experiências viciantes, que mais fazem mal do que bem pra sua alma. É como o filho pródigo achando que as benesses da riqueza poderiam lhe trazer tudo o que na casa de seu pai era comedido, equilibrado e bem temperado. No fim, aqueles prazeres que desfrutou se mostraram incapazes de alimentá-lo por muito tempo e a saudade de casa foi inevitável.

A grande reviravolta de percepção está nas palavras de Caio abaixo:

Em Deus o prazer, a alegria, as coisas simples, os ciclos, as relações humanas ganham seu total sentido.

E aí? O que achou da leitura dessas páginas desse livro? Deixe seu comentário com suas percepções logo abaixo!

9 comentários

  1. O que têm me chamado atenção até agora na leitura, é que o vazio que existe em nós, nos faz dar uma grande “volta” na vida e por fim, nos coloca no mesmo ponto de onde partimos.
    Você começa a busca porque quer “sair” de Deus… E quando encontra a resposta, encontra Deus.

  2. “Engraçado” como esse apadrinhamento político é tão antigo… Colocar pessoas sem competência num cargo só para agradar ou angariar votos…

    Definitivamente, a vida, a existência, à parte de Deus, é uma bobagem total… Sem Deus, a vida é um absurdo…

    … porém, com Deus, a vida ganha sentido. Deus dá sentido ao prazer. Em Deus, até as coisas mais simples da vida ganham significado.

  3. Incrível como alegria e o prazer do mundo, são subjetivos e particular.
    Ou seja o que te dá alegria, pode não dar a mim!
    O que me dá prazer, pode não dar a você!
    Mas em Deus a alegria e o prazer são absolutos e preenche a todos de igual modo, são reais, e transbordam os alagares.

  4. As vezes tentamos separar Deus de algumas áreas das nossas vidas. Quão ingênuo é isso!
    Toda alegria, prazer verdadeiros vem Dele!
    Mesmo que nem sempre as coisas não andem muito bem…
    “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto nas vides; ainda que falhe o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que o rebanho seja exterminado da malhada e nos currais não haja gado, todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação”. (Habacuque 3:17,18).

  5. Esssa paginas me fizeram lembrar do jovem rico.
    Tinha tudo e ainda cumpria zerlosamente a lei, mas Cristo lhe faz um convite e que tudo aquilo sem Ele não tem nenhum sentido até msm a Lei não passa de fardo pesado e cansaço.
    Deus é o ingrediente para que o dia seja de sol irradiante mesmo que o dia esteja nublado.

  6. O salto nosso, à semelhança do salto de Kyerkegaard, encontra o Deus do instante, da bifurcação vertical e horizontal, onde se dá o encontro entre temporal e Eterno, finito e infinito, imanente e transcendente.
    Do existir para o existir, não há absolutamente nada que faça sentido, que tenha plausível e grande significado. Só no encontro com o Infinito pessoal é que a vida ganha conteúdo e sentido, deixa de de ser vacuidade, vaziez, ou, simplesmente, uma bobagem sem tamanho…

  7. Aprendo com a mensagem que esse é o momento onde começamos a compreender a vida , n revelação divina que alarga a visão de que o q dá sentido ao prazer é Deus! O sábio descobriu todas essa coisas! A volúpia só sacia no encontro com Ele. A contradição se discerni apartir da constatação da nossa pequenez e impotência diante da existência. Somente Deus dá alegria aos nossos dias ainda que há figueira não floresça…

  8. Deus em sua infinita graça e amor está nos estendendo as mãos mas preferimos os encantamentos do Mundo e sua satisfação transitória. Apenas em Cristo Jesus podemos encontrar motivos reais para viver e sem Ele não há motivos de vida. Apenas ignorância e perdas ignóbeis e pagãs. Digo isso no sentindo de que sem Cristo tudo é perda de tempo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: