Terminei a leitura do livro “O Mundo Se Despedaça” de Chinua Achebe. Foram 231 páginas lidas em 6 dias e várias impressões para compartilhar.

Ler um escritor africano já é algo incrível, haja vista a história de sofrimento e dor de milhares de pessoas daquele continente. É muito comum ouvirmos a história contada pelos conquistadores, colonizadores e integrantes das elites nacionais. Este livro traz outra perspectiva, a saber, a dos colonizados.

O autor trabalha com riqueza a descrição dos costumes, rituais, pensamentos, organização social, crenças espirituais e sistema de valores das aldeias de Umuófia, estabelecidas no sudeste da Nigéria. É um romance que apresenta, do início ao fim, a história de Okonkwo , um guerreiro de etnia ibo, que possui uma relação conturbada com seu velho pai e um grande desafio familiar envolvendo seu filho Nwoye e sua filha Ezinma.

Okonkwo teve seu orgulho ferido, ao precisar lidar com seus próprios erros, que custou seu prestígio e autoridade construídos em Umuófia; e para piorar, o homem branco chegou relativizando suas crenças, fazendo prosélitos e mudando seus costumes, trazendo assim, o perigo iminente da destruição da identidade daquele povo.

Ler “O Mundo Se Despedaça” nos leva a questionar o quão violenta é uma religião que fala de “amor”, mas que ao mesmo tempo coloniza, desconstrói e condena ao inferno eterno e terreno aqueles que não lhe obedecem e não se submetem. O que era para ser um “convite” a experimentar uma novidade de vida passou a ser instrumento de manipulação através do medo e da coerção.

Vale a pena ler!

Ficha Técnica:

Título em Inglês: Things Fall Apart
Ano: 1958
Páginas: 231
Editora Ática

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: