Na trama da vida
Ora por cima
Ora embaixo
No vai-e-vem,
Cá e acolá
Me faço
Me refaço,
Persisto
Existo. (Julio)

“Há duas maneiras de ser enganado. Uma é acreditar no que não é verdade; a outra é recusar a acreditar no que é verdade”. Soren Kierkegaard

Qual das duas é preferível?
Nem uma nem outra devemos desejar. Não há uma melhor e outra pior. Ser enganado nunca pode ser bom.
A verdade, segundo a concepção grega, diz respeito ao que é revelado, descoberto (o não coberto). Eles acreditavam que precisamos ter olhos para enxergar a verdade que a todo momento se revela a nós. Olhos físicos e olhos da alma. Só em contato com a verdade é que podemos ser autênticos, verdadeiros, livres de fato.

ser professor

“Os piores escravos são aqueles que estão servindo constantemente as suas paixões”. Diógenes

Ser livre ou ser escravo é muito mais uma condição interna, pessoal do que uma situação externa imposta a alguém. Vejo muita gente ser criticada pelo fato de terem feito escolhas conscientes a um modo de vida que difere das modinhas do momento, sob o rótulo de escravos, alienados. Me pergunto: quem é, de fato, livre ou escravo? quem?

Júlio César Gonçalves
juliofilosofia@gmail.com
www.sociologianomundo.blogspot.com

julio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: