Ir para conteúdo
Anúncios

Estalos de Leitura #27 – Rafael de Campos

O mundo sempre se renovará pelo simples fato de que animais racionais morrerão e outros nascerão com novos ideais.

Sim, a democracia é um regime de valor pluralista e não elitista. Entretanto, o povo não reconhece a dimensão valorativa democrática e seus aspectos plurais; vivem reféns da perspectiva contrária do sentido democrático: entregam a direção do país a uma minoria social pelo voto democrático mas não fiscalizam ou não se engajam a uma participação política efetiva como grupo social. Democracia no Brasil ainda significa entrega do poder a uma elite minoritária elitista desdenhosa da situação real do país.

Há inúmeras formas de ler um livro – até o Livro que, evidentemente, existem autoridades que decretam qual a leitura ortodoxa que se deve fazer dos textos. No entanto, as formas de ler, sejam elas a ortodoxa ou a liberal, a sistemática ou a circunstancial etc.; todas são mutáveis e passíveis da condição de tempo, lugar e situação referente a política e modos de crença. Alguns farão do texto melodia; outros remédio para a cura do seu mal; ainda outros utilizarão os textos para garantir seu futuro financeiro; alguns irão salvar-se com eles; muitos (quase todos) aplicarão tais na política e na sempre disputa por hegemonia/poder.

Diante dos consentimentos antiéticos da realidade política brasileira atual, é preciso a postura prática do não-consentir – isto é, tornar-se a barreira, o obstáculo, o corpo de impedimento dessa política inoperante e vergonhosa.
Como fazer isso? Utilizar toda linguagem e meio possível como forma de protesto.
RCampos…

Obs. Antiético é quando se rompe as barreiras da ética. é quando se infringe regras de convivência social, quando se tem um mal-comportamento profissional, principalmente: quando se rompe valores que significam muito para as pessoas. é quando não se respeita a necessidade do todo para proteger a sua.

Cada ser humano conta uma narrativa de si. Cada um têm, expressivamente, vivências que emocionam corações dados a sensibilidade. A cada chegada, a cada partida, a cada estabelecimento, a cada tentativa, a cada derrota e vitória: tudo é tão cheio de valor e tão contemplativo, a ponto de transformar realidades e histórias. A humanidade é uma teia conexa, em que cada forma e expressão de afeto e pulsão resume o propósito de existimos. Se há um sentido na vida – seja ele material, espiritual, psíquico, social -, ele me parece muito com o tríade conceito de nascimento (novidade), religião (no sentido humanista de religar, reatar, reescrever), e humanização. Cada um desses conceitos, visto do prisma humano, nos torna enlaçados um no outro. Como é necessário nós dilatarmos nessa consciência.

Rafael de Campos
elfaracampos@hotmail.com
Rafael de Campos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: