Na vida, poucas coisas valem a pena e ler livros é uma delas. Parabéns, professores que têm a nobre missão de nos ensinar a ler!!!

Não há nada melhor do que o silêncio da madruga, com a presença da lua e das estrelas, e, de fundo, a voz de Deus em forma de poesia, me tocando como brisa, ampliando minha consciência, e me fazendo pensar, sem nunca duvidar, no milagre da existência!

Sabe aquela estória em que a menininha foi tirar a borboleta do casulo antes do tempo e a mesma não estava pronta e morreu? A intenção foi ajudá-la, mas na natureza e na vida tudo tem seu tempo certo! Assim somos nós! Somos casulo para cada objetivo e quem determina o tempo de algo dar certo ou errado é o Criador, de modo que querer antecipar as coisas só faz gerar ansiedade e muitas vezes frustração. Sejamos como a borboleta, pacientes, sem pressa, mas batendo asas e levantando voo quando a hora estiver certa!

Fazer na medida do possível e crer no Deus do incrível, sem expectativa de perfeição, mas apostando sempre no perdão, duradouro ou passageiro, com a certeza de que o que realmente importa é o amor e não necessariamente a forma de amar!

E a vida segue sem pedir licença, independente de nossa descrença, sempre disposta a nos ensinar! Das tristezas faço poesia, dos amores perdidos crio amor próprio, das desavenças treino a paciência por um mundo melhor, ou melhor, faço companhia pra mim mesmo, sob um céu estrelado, sozinho, porém bem acompanhado, numa solitude transcendental, onde o “eu” prevalece, de maneira casual, sem ferir ninguém. E acima de nós um Deus cósmico, nos convidando para a ciranda da vida, gerando em nós a nostalgia q faltava para fechar esta cena q ficará gravada para toda eternidade nos arquivos do autor da vida!

Felipe Farah
felipefarah12@gmail.com
felipe

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: