Ir para conteúdo
Anúncios

Bíblia Toda em 1 Ano – Dia 16/06 – Salmos 70-74 – NVI

Salmo 70

Livra-me, ó Deus! Apressa-te, Senhor, a ajudar-me!
Sejam humilhados e frustrados os que procuram tirar-me a vida; retrocedam desprezados os que desejam a minha ruína.
Retrocedam em desgraça os que zombam de mim.
Mas regozijem-se e alegrem-se em ti todos os que te buscam; digam sempre os que amam a tua salvação: “Como Deus é grande! ”
Quanto a mim, sou pobre e necessitado; apressa-te, ó Deus. Tu és o meu socorro e o meu libertador; Senhor, não te demores!

Salmos 70:1-5

Salmo 71

Em ti, Senhor, busquei refúgio; nunca permitas que eu seja humilhado.
Resgata-me e livra-me por tua justiça; inclina o teu ouvido para mim e salva-me.
Peço-te que sejas a minha rocha de refúgio, para onde eu sempre possa ir; dá ordem para que me libertem, pois és a minha rocha e a minha fortaleza.
Livra-me, ó meu Deus, das mãos dos ímpios, das garras dos perversos e cruéis.
Pois tu és a minha esperança, ó Soberano Senhor, em ti está a minha confiança desde a juventude.
Desde o ventre materno dependo de ti; tu me sustentaste desde as entranhas de minha mãe. Eu sempre te louvarei!
Tornei-me um exemplo para muitos, porque tu és o meu refúgio seguro.
Do teu louvor transborda a minha boca, que o tempo todo proclama o teu esplendor.
Não me rejeites na minha velhice; não me abandones quando se vão as minhas forças.
Pois os meus inimigos me caluniam; os que estão à espreita juntam-se e planejam matar-me.
“Deus o abandonou”, dizem eles; “persigam-no e prendam-no, pois ninguém o livrará”. –
Não fiques longe de mim, ó Deus; ó meu Deus, apressa-te em ajudar-me.
Pereçam humilhados os meus acusadores; sejam cobertos de zombaria e vergonha os que querem prejudicar-me.
Mas eu sempre terei esperança e te louvarei cada vez mais.
A minha boca falará sem cessar da tua justiça e dos teus incontáveis atos de salvação.
Falarei dos teus feitos poderosos, ó Soberano Senhor; proclamarei a tua justiça, unicamente a tua justiça.
Desde a minha juventude, ó Deus, tens me ensinado, e até hoje eu anuncio as tuas maravilhas.
Agora que estou velho, de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que eu possa falar da tua força aos nossos filhos, e do teu poder às futuras gerações.
Tua justiça chega até as alturas, ó Deus, tu, que tens feito coisas grandiosas. Quem se compara a ti, ó Deus?
Tu, que me fizeste passar muitas e duras tribulações, restaurarás a minha vida, e das profundezas da terra de novo me farás subir.
Tu me farás mais honrado e mais uma vez me consolarás.
E eu te louvarei com a lira por tua fidelidade, ó meu Deus; cantarei louvores a ti com a harpa, ó Santo de Israel.
Os meus lábios gritarão de alegria quando eu cantar louvores a ti, pois tu me redimiste.
Também a minha língua sempre falará dos teus atos de justiça, pois os que queriam prejudicar-me foram humilhados e ficaram frustrados.

Salmos 71:1-24

Salmo 72

Reveste da tua justiça o rei, ó Deus, e o filho do rei, da tua retidão,
para que ele julgue com retidão e com justiça os teus que sofrem opressão.
Que os montes tragam prosperidade ao povo, e as colinas, o fruto da justiça.
Defenda ele os oprimidos entre o povo e liberte os filhos dos pobres; esmague ele o opressor!
Que ele perdure como o sol e como a lua, por todas as gerações.
Seja ele como chuva sobre uma lavoura ceifada, como aguaceiros que regam a terra.
Floresçam os justos nos dias do rei, e haja grande prosperidade enquanto durar a lua.
Governe ele de mar a mar e desde o rio Eufrates até os confins da terra.
Inclinem-se diante dele as tribos do deserto, e os seus inimigos lambam o pó.
Que os reis de Társis e das regiões litorâneas lhe tragam tributo; os reis de Sabá e de Sebá lhe ofereçam presentes.
Inclinem-se diante dele todos os reis, e sirvam-no todas as nações.
Pois ele liberta os pobres que pedem socorro, os oprimidos que não têm quem os ajude.
Ele se compadece dos fracos e dos pobres, e os salva da morte.
Ele os resgata da opressão e da violência, pois aos seus olhos a vida deles é preciosa.
Tenha o rei vida longa! Receba ele o ouro de Sabá. Que se ore por ele continuamente, e todo o dia se invoquem bênçãos sobre ele.
Haja fartura de trigo por toda a terra, ondulando no alto dos montes. Floresçam os seus frutos como os do Líbano e cresçam as cidades como as plantas no campo.
Permaneça para sempre o seu nome e dure a sua fama enquanto o sol brilhar. Sejam abençoadas todas as nações por meio dele, e que elas o chamem bendito.
Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, o único que realiza feitos maravilhosos.
Bendito seja o seu glorioso nome para sempre; encha-se toda a terra da sua glória. Amém e amém.
Encerram-se aqui as orações de Davi, filho de Jessé.

Salmos 72:1-20

Salmo 73

Certamente Deus é bom para Israel, para os puros de coração.
Quanto a mim, os meus pés quase tropeçaram; por pouco não escorreguei.
Pois tive inveja dos arrogantes quando vi a prosperidade desses ímpios.
Eles não passam por sofrimento e têm o corpo saudável e forte.
Estão livres dos fardos de todos; não são atingidos por doenças como os outros homens.
Por isso o orgulho lhes serve de colar, e se vestem de violência.
Do seu íntimo brota a maldade; da sua mente transbordam maquinações.
Eles zombam e falam com más intenções; em sua arrogância ameaçam com opressão.
Com a boca arrogam a si os céus, e com a língua se apossam da terra.
Por isso o seu povo se volta para eles e bebem suas palavras até saciar-se.
Eles dizem: “Como saberá Deus? Terá conhecimento o Altíssimo? ”
Assim são os ímpios; sempre despreocupados, aumentam suas riquezas.
Certamente foi-me inútil manter puro o coração e lavar as mãos na inocência,
pois o dia inteiro sou afligido, e todas as manhãs sou castigado.
Se eu tivesse dito “falarei com eles”, teria traído os teus filhos.
Quando tentei entender tudo isso, achei muito difícil para mim,
até que entrei no santuário de Deus, e então compreendi o destino dos ímpios.
Certamente os pões em terreno escorregadio e os fazes cair na ruína.
Como são destruídos de repente, completamente tomados de pavor!
São como um sonho que se vai quando a gente acorda; quando te levantares, Senhor, tu os farás desaparecer.
Quando o meu coração estava amargurado e no íntimo eu sentia inveja,
agi como insensato e ignorante; minha atitude para contigo era a de um animal irracional.
Contudo, sempre estou contigo; tomas a minha mão direita e me susténs.
Tu me diriges com o teu conselho, e depois me receberás com honras.
A quem tenho nos céus senão a ti? E na terra, nada mais desejo além de estar junto a ti.
O meu corpo e o meu coração poderão fraquejar, mas Deus é a força do meu coração e a minha herança para sempre.
Os que te abandonam sem dúvida perecerão; tu destróis todos os infiéis.
Mas, para mim, bom é estar perto de Deus; fiz do Soberano Senhor o meu refúgio; proclamarei todos os teus feitos.

Salmos 73:1-28

Salmo 74

Por que nos rejeitaste definitivamente, ó Deus? Por que se acende a tua ira contra as ovelhas da tua pastagem?
Lembra-te do povo que adquiriste em tempos passados, da tribo da tua herança, que resgataste, do monte Sião, onde habitaste.
Volta os teus passos para aquelas ruínas irreparáveis, para toda a destruição que o inimigo causou em teu santuário.
Teus adversários gritaram triunfantes bem no local onde te encontravas conosco, e hastearam suas bandeiras em sinal de vitória.
Pareciam homens armados com machados invadindo um bosque cerrado.
Com seus machados e machadinhas esmigalharam todos os revestimentos de madeira esculpida.
Atearam fogo ao teu santuário; profanaram o lugar da habitação do teu nome.
Disseram no coração: “Vamos acabar com eles! ” Queimaram todos os santuários do país.
Já não vemos sinais miraculosos; não há mais profetas, e nenhum de nós sabe até quando isso continuará.
Até quando o adversário irá zombar, ó Deus? Será que o inimigo blasfemará o teu nome para sempre?
Por que reténs a tua mão, a tua mão direita? Não fiques de braços cruzados! Destrói-os!
Mas tu, ó Deus, és o meu rei desde a antigüidade; trazes salvação sobre a terra.
Tu dividiste o mar pelo teu poder; quebraste as cabeças das serpentes das águas.
Esmagaste as cabeças do Leviatã e o deste por comida às criaturas do deserto.
Tu abriste fontes e regatos; secaste rios perenes.
O dia é teu, e tua também é a noite; estabeleceste o sol e a lua.
Determinaste todas as fronteiras da terra; fizeste o verão e o inverno.
Lembra-te de como o inimigo tem zombado de ti, ó Senhor, como os insensatos têm blasfemado o teu nome.
Não entregues a vida da tua pomba aos animais selvagens; não te esqueças para sempre da vida do teu povo indefeso.
Dá atenção à tua aliança, porque de antros de violência se enchem os lugares sombrios do país.
Não deixes que o oprimido se retire humilhado! Faze que o pobre e o necessitado louvem o teu nome.
Levanta-te, ó Deus, e defende a tua causa; lembra-te de como os insensatos zombam de ti sem cessar.
Não ignores a gritaria dos teus adversários, o crescente tumulto dos teus inimigos.

Salmos 74:1-23

Leitura feita por Rodrigo Campos, da Bíblia na Nova Versão Internacional

Se quiser receber o áudio das leituras diariamente em seu Whatsapp, solicite isso através do número 18-997358253

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz

Onde você me encontra?
Twitter: @caminhaprendiz
Facebook: /caminhanteaprendiz 
Youtube: bit.ly/caminhanteaprendiz
Instagram @caminhanteaprendiz 
E-mail: rodrigoaccampos@hotmail.com
Whatsapp: 18-997358253

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: