Ir para conteúdo

Bíblia Toda em 1 Ano – Dia 25/05 – Jó 39-42 – NVI

Jó 39

“Você sabe quando as cabras monteses dão à luz? Você está atento quando a corça tem o seu filhote?
Acaso você conta os meses até elas darem à luz? Sabe em que época elas têm as suas crias?
Elas se agacham, dão à luz os seus filhotes, e suas dores se vão.
Seus filhotes crescem nos campos e ficam fortes; partem, e não voltam mais.
“Quem pôs em liberdade o jumento selvagem? Quem soltou suas cordas?
Eu lhe dei o deserto como lar, os leito seco de lagos salgados como sua morada.
Ele se ri da agitação da cidade; não ouve os gritos do tropeiro.
Vagueia pelas colinas em busca de pasto e vai em busca daquilo que é verde.
“Será que o boi selvagem consentirá em servir você? e em passar a noite ao lado dos cochos do seu curral?
Poderá você prendê-lo com arreio na vala? Irá atrás de você arando os vales?
Você vai confiar nele, por causa da sua grande força? Vai deixar a cargo dele o trabalho pesado que você tem que fazer?
Poderá você estar certo de que ele recolherá o seu trigo e o ajuntará na sua eira?
“A avestruz bate as asas alegremente. Que se dirá então das asas e da plumagem da cegonha?
Ela abandona os ovos no chão e deixa que a areia os aqueça,
esquecida de que um pé poderá esmagá-los, que algum animal selvagem poderá pisoteá-los.
Ela trata mal os seus filhotes, como se não fossem dela, e não se importa se o seu trabalho é inútil.
Isso porque Deus não lhe deu sabedoria nem parcela alguma de bom senso.
Contudo, quando estende as penas para correr, ela ri do cavalo e daquele que o cavalga.
“É você que dá força ao cavalo ou veste o seu pescoço com sua crina tremulante?
Você o faz saltar como gafanhoto, espalhando terror com o seu orgulhoso resfolegar?
Ele escarva com fúria, mostra com prazer a sua força, e sai para enfrentar as armas.
Ele ri do medo, e nada teme; não recua diante da espada.
A aljava balança ao seu lado, com a lança e o dardo flamejantes.
Num furor frenético ele devora o chão; não consegue esperar pelo toque da trombeta.
Ao toque da trombeta, ele relincha: ‘Eia! ’ De longe sente cheiro de combate, o brado de comando e o grito de guerra.
“É graças a inteligência que você tem que o falcão alça vôo e estende as asas rumo sul?
É porque você manda, que a águia se eleva, e no alto constrói o seu ninho?
Um penhasco é sua morada, e ali passa a noite; uma escarpa rochosa é a sua fortaleza.
De lá sai ela em busca de alimento; de longe os seus olhos o vêem.
Seus filhotes bebem sangue, e, onde há mortos, ali ela está”.

Jó 39:1-30

Jó 40

O Senhor disse a Jó:
“Aquele que contende com o Todo-poderoso poderá repreendê-lo? Que responda a Deus aquele que o acusa! ”
Então Jó respondeu ao Senhor:
“Sou indigno; como posso responder-te? Ponho a mão sobre a minha boca.
Falei uma vez, mas não tenho resposta; sim, duas vezes, mas não direi mais nada”.
Depois, o Senhor falou a Jó do meio da tempestade:
“Prepare-se como simples homem que é; eu lhe farei perguntas, e você me responderá.
“Você vai pôr em dúvida a minha justiça? Vai condenar-me para justificar-se?
Seu braço é como o de Deus, e sua voz pode trovejar como a dele?
Adorne-se, então, de esplendor e glória, e vista-se de majestade e honra.
Derrame a fúria da sua ira, olhe para todo orgulhoso e lance-o por terra,
olhe para todo orgulhoso e humilhe-o, esmague os ímpios onde estiverem.
Enterre-os todos juntos no pó; encubra os rostos deles no túmulo.
Então admitirei que a sua mão direita pode salvar você.
“Veja o Beemote que criei quando criei você e que come de capim como o boi.
Que força ele tem em seus lombos! Que poder nos músculos do seu ventre!
A cauda dele balança como o cedro; os nervos de suas coxas são firmemente entrelaçados.
Seus ossos são canos de bronze, seus membros são varas de ferro.
Ele ocupa o primeiro lugar entre as obras de Deus. No entanto, o seu Criador pode chegar a ele com sua espada.
Os montes lhe oferecem os seus produtos, e todos os animais selvagens brincam por perto.
Sob os lotos se deita, oculto entre os juncos do brejo.
Os lotos o escondem à sua sombra; os salgueiros junto ao regato o cercam.
Quando o rio se enfurece, ele não se abala; mesmo que o Jordão encrespe as ondas contra a sua boca, ele se mantém calmo.
Poderá alguém capturá-lo pelos olhos, ou prendê-lo em armadilha e enganchá-lo pelo nariz?

Jó 40:1-24

Jó 41

“Você consegue pescar com anzol o leviatã ou prender sua língua com uma corda?
Consegue fazer passar um cordão pelo seu nariz ou atravessar seu queixo com um gancho?
Pensa que ele vai lhe implorar misericórdia e lhe vai falar palavras amáveis?
Acha que ele vai fazer acordo com você, para que você o tenha como escravo pelo resto da vida?
Acaso você consegue fazer dele um bichinho de estimação, como se ele fosse um passarinho, ou pôr-lhe uma coleira para as suas filhas?
Poderão os negociantes vendê-lo? Ou reparti-lo entre os comerciantes?
Você consegue encher de arpões o seu couro, e de lanças de pesca a sua cabeça?
Se puser a mão nele, a luta ficará em sua memória, e nunca mais você tornará a fazê-lo.
Esperar vencê-lo é ilusão; só vê-lo já é assustador.
Ninguém é suficientemente corajoso para despertá-lo. Quem então será capaz de resistir a mim?
Quem primeiro me deu alguma coisa, que eu lhe deva pagar? Tudo o que há debaixo dos céus me pertence.
“Não deixarei de falar de seus membros, de sua força e de seu porte gracioso.
Quem consegue arrancar sua capa externa? Quem se aproximaria dele com uma rédea?
Quem ousa abrir as portas de sua boca, cercada com seus dentes temíveis?
Suas costas possuem fileiras de escudos firmemente unidos;
cada um está tão junto do outro que nem o ar passa entre eles;
estão tão interligados, que é impossível separá-los.
Seu forte sopro atira lampejos de luz; seus olhos são como os raios da alvorada.
Tições saem da sua boca; fagulhas de fogo estalam.
Das suas narinas sai fumaça como de panela fervente sobre fogueira de juncos.
Seu sopro faz o carvão pegar fogo, e da sua boca saltam chamas.
Tanta força reside em seu pescoço que o terror vai adiante dele.
As dobras da sua carne são fortemente unidas; são tão firmes que não se movem.
Seu peito é duro como pedra, rijo como a pedra inferior do moinho.
Quando ele se ergue, os poderosos se apavoram; fogem com medo dos seus golpes.
A espada que o atinge não lhe faz nada, nem a lança nem a flecha nem o dardo.
Ferro ele trata como palha, e bronze como madeira podre.
As flechas não o afugentam, as pedras das fundas são como cisco para ele.
O bastão lhe parece fiapo de palha; o brandir da grande lança o faz rir.
Seu ventre é como caco denteado, e deixa rastro na lama como o trilho de debulhar.
Ele faz as profundezas se agitarem como caldeirão fervente, e revolve o mar como pote de ungüento.
Deixa atrás de si um rastro cintilante; como se fossem os cabelos brancos do abismo.
Nada na terra se equipara a ele; criatura destemida!
Com desdém olha todos os altivos; reina soberano sobre todos os orgulhosos”.

Jó 41:1-34

Jó 42

Então Jó respondeu ao Senhor:
“Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado.
Tu perguntaste: ‘Quem é esse que obscurece o meu conselho sem conhecimento? ’ Certo é que falei de coisas que eu não entendia, coisas tão maravilhosas que eu não poderia saber.
“Tu disseste: ‘Agora escute, e eu falarei; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá’.
Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram.
Por isso menosprezo a mim mesmo e me arrependo no pó e na cinza”.
Depois que o Senhor disse essas palavras a Jó, disse também ao Elifaz, de Temã: “Estou indignado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó.
Vão agora até meu servo Jó, levem sete novilhos e sete carneiros, e com eles apresentem holocaustos em favor de vocês mesmos. Meu servo Jó orará por vocês; eu aceitarei a oração dele e não farei com vocês o que vocês merecem pela loucura que cometeram. Vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó”.
Então Elifaz, de Temã, Bildade, de Suá, e Zofar, de Naamate, fizeram o que o Senhor lhes ordenara; e o Senhor aceitou a oração de Jó.
Depois que Jó orou por seus amigos, o Senhor o tornou novamente próspero e lhe deu em dobro tudo o que tinha antes.
Todos os seus irmãos e irmãs, e todos os que o haviam conhecido anteriormente vieram comer com ele em sua casa. Eles o consolaram e o confortaram por todas as tribulações que o Senhor tinha trazido sobre ele, e cada um lhe deu uma peça de prata e um anel de ouro.
O Senhor abençoou o final da vida de Jó mais do que o início. Ele teve catorze mil ovelhas, seis mil camelos, mil juntas de boi e mil jumentos.
Também teve ainda sete filhos e três filhas.
À primeira filha deu o nome de Jemima, à segunda o de Quézia e à terceira o de Quéren-Hapuque.
Em parte alguma daquela terra havia mulheres tão bonitas como as filhas de Jó, e seu pai lhes deu herança junto com os seus irmãos.
Depois disso Jó viveu cento e quarenta anos; viu seus filhos e os descendentes deles até a quarta geração.
E então morreu, em idade muito avançada.

Jó 42:1-17

Leitura feita por Rodrigo Campos, da Bíblia na Nova Versão Internacional

Se quiser receber o áudio das leituras diariamente em seu Whatsapp, solicite isso através do número 18-997358253

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz

Onde você me encontra?
Twitter: @caminhaprendiz
Facebook: /caminhanteaprendiz 
Youtube: bit.ly/caminhanteaprendiz
Instagram @caminhanteaprendiz 
E-mail: rodrigoaccampos@hotmail.com
Whatsapp: 18-997358253

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: