Ir para conteúdo
Anúncios

Bíblia Toda em 1 Ano – Dia 07/02 – Números 7-9 – NVI

Números 7

Quando Moisés acabou de armar o tabernáculo, ele o ungiu e o consagrou, juntamente com todos os seus utensílios. Também ungiu e consagrou o altar com todos os seus utensílios.
Então os líderes de Israel, os chefes das famílias que eram os líderes das tribos encarregados do recenseamento, apresentaram ofertas.
Trouxeram as suas dádivas ao Senhor: seis carroças cobertas e doze bois, um boi de cada líder e uma carroça de cada dois líderes; e as apresentaram diante do tabernáculo.
O Senhor disse a Moisés:
“Aceite as ofertas deles para que sejam usadas no trabalho da Tenda do Encontro. Entregue-as aos levitas, conforme exigir o trabalho de cada homem”.
Então Moisés recebeu as carroças e os bois e os entregou aos levitas.
Deu duas carroças e quatro bois aos gersonitas, conforme exigia o trabalho deles,
e quatro carroças e oito bois aos meraritas, conforme exigia o trabalho deles. Estavam todos sob a supervisão de Itamar, filho do sacerdote Arão.
Mas aos coatitas Moisés não deu nada, pois eles deveriam carregar nos ombros os objetos sagrados pelos quais eram responsáveis.
Quando o altar foi ungido, os líderes trouxeram as suas ofertas para a dedicação do altar, e as apresentaram diante dele.
Pois o Senhor tinha dito a Moisés: “Cada dia um líder deverá trazer a sua oferta para a dedicação do altar”.
No primeiro dia, Naassom, filho de Aminadabe, da tribo de Judá, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Naassom, filho de Aminadabe.
No segundo dia, Natanael, filho de Zuar e líder de Issacar, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Natanael, filho de Zuar.
No terceiro dia, Eliabe, filho de Helom e líder de Zebulom, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Eliabe, filho de Helom.
No quarto dia, Elizur, filho de Sedeur e líder de Rúben, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Elizur, filho de Sedeur.
No quinto dia, Selumiel, filho de Zurisadai e líder de Simeão, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Selumiel, filho de Zurisadai.
No sexto dia, Eliasafe, filho de Deuel e líder de Gade, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Eliasafe, filho de Deuel.
No sétimo dia, Elisama, filho de Amiúde e líder de Efraim, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Elisama, filho de Amiúde.
No oitavo dia, Gamaliel, filho de Pedazur e líder de Manassés, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Gamaliel, filho de Pedazur.
No nono dia, Abidã, filho de Gideoni e líder de Benjamim, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Abidã, filho de Gideoni.
No décimo dia, Aieser, filho de Amisadai e líder de Dã, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Aieser, filho de Amisadai.
No décimo primeiro dia, Pagiel, filho de Ocrã e líder de Aser, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Pagiel, filho de Ocrã.
No décimo segundo dia, Aira, filho de Enã e líder de Naftali, trouxe a sua oferta.
A oferta dele foi um prato de prata de um quilo e quinhentos e sessenta gramas e uma bacia de prata para as aspersões de oitocentos e quarenta gramas, ambos pesados com base no peso padrão do santuário, cada um cheio da melhor farinha amassada com óleo como oferta de cereal;
uma vasilha de ouro de cento e vinte gramas, cheia de incenso;
um novilho, um carneiro e um cordeiro de um ano como holocausto;
um bode como oferta pelo pecado;
e dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano para serem oferecidos como sacrifício de comunhão. Essa foi a oferta de Aira, filho de Enã.
Essas foram as ofertas dos líderes israelitas para a dedicação do altar quando este foi ungido: doze pratos de prata, doze bacias de prata para as aspersões e doze vasilhas de ouro.
Cada prato de prata pesava um quilo e quinhentos e sessenta gramas, e cada bacia para as aspersões pesava oitocentos e quarenta gramas. O total de peças de prata pesava vinte e oito quilos e oitocentos gramas, com base no peso padrão do santuário.
As doze vasilhas de ouro cheias de incenso pesavam cada uma cento e vinte gramas, com base no peso padrão do santuário. O total de vasilhas de ouro pesava um quilo e quatrocentos e quarenta gramas.
O total de animais oferecidos em holocausto foi doze novilhos, doze carneiros e doze cordeiros de um ano, juntamente com as ofertas de cereal. Doze bodes foram trazidos para a oferta pelo pecado.
O total de animais oferecidos em sacrifício de comunhão foi vinte e quatro bois, sessenta carneiros, sessenta bodes e sessenta cordeiros de um ano. Foram essas as ofertas trazidas para a dedicação do altar depois que este foi ungido.
Quando entrava na Tenda do Encontro para falar com o Senhor, Moisés ouvia a voz que lhe falava do meio dos dois querubins, de cima da tampa da arca da aliança. Era assim que o Senhor falava com ele.

Números 7:1-89

Números 8

Disse também o Senhor a Moisés:
“Diga o seguinte a Arão: Quando você preparar as sete lâmpadas, estas deverão iluminar a área da frente do candelabro”.
Arão assim fez; dispôs as lâmpadas de modo que estivessem voltadas para a frente do candelabro, como o Senhor tinha ordenado a Moisés.
O candelabro foi feito da seguinte maneira: de ouro batido do pedestal às flores, conforme o modelo que o Senhor tinha mostrado a Moisés.
O Senhor disse a Moisés:
“Separe os levitas do meio dos israelitas e os purifique.
A purificação deles será assim: você aspergirá a água da purificação sobre eles; fará com que rapem o corpo todo e lavem as roupas, para que se purifiquem.
Depois eles trarão um novilho com a oferta de cereal da melhor farinha amassada com óleo; e você trará um segundo novilho como oferta pelo pecado.
Você levará os levitas para a frente da Tenda do Encontro e reunirá toda a comunidade de Israel.
Levará os levitas à presença do Senhor, e os israelitas imporão as mãos sobre eles.
Arão apresentará os levitas ao Senhor como oferta ritualmente movida da parte dos israelitas: eles serão dedicados ao trabalho do Senhor.
“Depois que os levitas impuserem as mãos sobre a cabeça dos novilhos, você oferecerá um novilho como oferta pelo pecado e o outro como holocausto ao Senhor, para fazer propiciação pelos levitas.
Disponha os levitas em frente de Arão e dos filhos dele e apresente-os como oferta movida ao Senhor.
Dessa maneira você separará os levitas do meio dos israelitas, e os levitas serão meus.
“Depois que você purificar os levitas e os apresentar como oferta movida, eles entrarão na Tenda do Encontro para ministrar.
Eles são os israelitas que deverão ser inteiramente dedicados a mim. Eu os separei para serem meus em lugar dos primogênitos, do primeiro filho homem de cada mulher israelita.
Todo primogênito em Israel, entre os homens ou entre os rebanhos, é meu. Eu os separei para mim quando feri todos os primogênitos no Egito
e escolhi os levitas em lugar de todos os primogênitos em Israel.
Dentre todos os israelitas, dediquei os levitas como dádivas a Arão e aos seus filhos; eles ministrarão na Tenda do Encontro em nome dos israelitas e farão propiciação por eles, para que nenhuma praga atinja os israelitas quando se aproximarem do santuário”.
Moisés, Arão e toda a comunidade de Israel fizeram com os levitas como o Senhor tinha ordenado a Moisés.
Os levitas se purificaram e lavaram suas roupas; e Arão os apresentou como oferta ritualmente movida perante o Senhor e fez propiciação por eles para purificá-los.
Depois disso os levitas passaram a ministrar na Tenda do Encontro sob a supervisão de Arão e dos seus filhos. Fizeram com os levitas como o Senhor tinha ordenado a Moisés.
O Senhor disse ainda a Moisés:
“Isto diz respeito aos levitas: os homens de vinte e cinco anos para cima, aptos para servir, tomarão parte no trabalho que se faz na Tenda do Encontro,
mas aos cinqüenta anos deverão afastar-se do serviço regular e nele não mais trabalharão.
Poderão ajudar seus companheiros de ofício na responsabilidade de cuidar da Tenda do Encontro, mas eles mesmos não deverão fazer o trabalho. Assim você designará as responsabilidades dos levitas”.

Números 8:1-26

Números 9

O Senhor falou com Moisés no deserto do Sinai no primeiro mês do segundo ano depois que o povo saiu do Egito. Ele disse:
“Os israelitas devem celebrar a Páscoa na ocasião própria.
Celebrem-na no tempo determinado, ao pôr-do-sol do dia catorze deste mês, de acordo com todas as suas leis e ordenanças”.
Então Moisés ordenou aos israelitas que celebrassem a Páscoa,
e eles o fizeram no deserto do Sinai, ao pôr-do-sol do dia catorze do primeiro mês. Os israelitas fizeram tudo conforme o Senhor tinha ordenado a Moisés.
Mas alguns deles não puderam celebrar a Páscoa naquele dia porque se haviam tornado impuros por terem tocado num cadáver. Por isso procuraram Moisés e Arão naquele mesmo dia
e disseram a Moisés: “Nós nos tornamos impuros por termos tocado num cadáver, mas por que deveríamos ser impedidos de apresentar a nossa oferta ao Senhor na ocasião própria, como os demais israelitas? ”
Moisés respondeu-lhes: “Esperem até que eu saiba o que o Senhor ordena a respeito de vocês”.
Então o Senhor disse a Moisés:
“Diga o seguinte aos israelitas: Quando algum de vocês ou dos seus descendentes se tornar impuro por tocar algum cadáver ou estiver distante por motivo de viagem, ainda assim poderá celebrar a Páscoa do Senhor.
Deverão celebrá-la no dia catorze do segundo mês, ao pôr-do-sol. Comerão o cordeiro com pães sem fermento e com ervas amargas.
Não deixarão sobrar nada até o amanhecer e não quebrarão nenhum osso do cordeiro. Quando a celebrarem, obedeçam a todas as leis da Páscoa.
Se, porém, um homem estiver puro e não estiver distante por motivo de viagem e ainda assim não celebrar a Páscoa, ele será eliminado do meio do seu povo porque não apresentou a oferta do Senhor na ocasião própria. Ele sofrerá as conseqüências do seu pecado.
“Um estrangeiro residente entre vocês, que queira celebrar a Páscoa do Senhor, deverá fazê-lo de acordo com as leis e ordenanças da Páscoa. Vocês terão as mesmas leis para o estrangeiro e para o natural da terra”.
No dia em que foi armado o tabernáculo, a tenda que guarda as tábuas da aliança, a nuvem o cobriu. Desde o entardecer até o amanhecer a nuvem por cima do tabernáculo tinha a aparência de fogo.
Era assim que sempre acontecia: de dia a nuvem o cobria, e de noite tinha a aparência de fogo.
Sempre que a nuvem se levantava de cima da Tenda, os israelitas partiam; no lugar em que a nuvem descia, ali acampavam.
Conforme a ordem do Senhor os israelitas partiam, e conforme a ordem do Senhor, acampavam. Enquanto a nuvem estivesse por cima do tabernáculo, eles permaneciam acampados.
Enquanto a nuvem ficava sobre o tabernáculo por muito tempo, os israelitas cumpriam suas responsabilidades para com o Senhor, e não partiam.
Às vezes a nuvem ficava sobre o tabernáculo poucos dias; conforme a ordem do Senhor eles acampavam, e também conforme a ordem do Senhor, partiam.
Outras vezes a nuvem permanecia somente desde o entardecer até o amanhecer, e quando se levantava pela manhã, eles partiam. De dia ou de noite, sempre que a nuvem se levantava, eles partiam.
Quer a nuvem ficasse sobre o tabernáculo dois dias, quer um mês, quer mais tempo, os israelitas permaneciam no acampamento e não partiam; mas, quando ela se levantava, partiam.
Conforme a ordem do Senhor acampavam, e conforme a ordem do Senhor partiam. Nesse meio tempo, cumpriam suas responsabilidades para com o Senhor, de acordo com as suas ordens, anunciadas por Moisés.

Números 9:1-23

Leitura feita por Rodrigo Campos, da Bíblia na Nova Versão Internacional

Se quiser receber o áudio das leituras diariamente em seu Whatsapp, solicite isso através do número 18-997358253

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz

Onde você me encontra?
Twitter: @caminhaprendiz
Facebook: /caminhanteaprendiz 
Youtube: bit.ly/caminhanteaprendiz
Instagram @caminhanteaprendiz 
E-mail: rodrigoaccampos@hotmail.com
Whatsapp: 18-997358253

 

 

 

Anúncios

4 comentários em “Bíblia Toda em 1 Ano – Dia 07/02 – Números 7-9 – NVI Deixe um comentário

  1. Números Cap.9 a partir do vers.15…A nuvem guiando a marcha dos israelitas…
    Naquele tempo o povo tinha um coração enfurecido e Deus mostrava seus sinais. Atualmente…mudou alguma coisa no coração dos homens?

    Curtido por 1 pessoa

    • Você pergunta isso por achar que Deus não mostra mais os seus sinais como antigamente? Pois, sempre houveram pessoas endurecidas e pessoas mais receptivas ao ensino do Eterno. Isso varia de família, momento histórico, de região, etc. Em suma todos nós já agimos com endurecimento de coração, e aos poucos vamos aprendendo a caminhar com mais lucidez. Quanto aos sinais, creio que Deus ainda faça seus milagres, ainda manifeste sobrenatural idades sobre a terra, mas nunca foi esse o foco de seu relacionamento com os homens! Somos convidados a viver pela fé, e isso implica em “confiar” mesmo que não estejamos munidos de “razões externas” para tal. Como Jesus disse a Tomé: “você creu porque me viste e me tocaste, felizes os que não viram e creram!”

      Curtir

  2. O que eu quis dizer é sobre o sinal visível de Deus, exemplo, a nuvem..
    Hoje é diferente, com a vinda de Jesus o Espírito Santo….
    Eu não como Tomé. Eu tive uma experiência em que recebi pela graça um milagre de Deus. Não estou falando de fé. Deus é o de ontem, hj é será sempre o mesmo. Eu apenas falando de sinais visíveis como o exemplo das nuvens.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: