Minha vida
sou eu quem faço:
se dou um passo,
se deixo rastro,
se sigo reto ou
em descompasso…
Sou caminhante.

O meu destino
sou eu quem traço:
se escrevo certo por
linhas tortas,
se serei desenho vivo
ou só um rascunho de ave
morta.

Sou muito macho
para “subir esse morro”
aos murros e amassos.
Ver a paisagem,
beijar o vento e
deixar o sol me dar um
abraço.

É meu começo.
Todo dia é assim.
Tudo coisa de Deus.

Wilson Chagas
wilson.gamararte@hotmail.com
wilson-chagas

 

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: