Não entre mais sem bater,

Me deixe em silêncio,

Me deixe em Custódia,

Me deixe respirar,

Pegue os fatos,

Leve-os para fora,

Para fora de meu quarto,

Lave os lençóis sujos de sangue,

E perfume-os com o aroma da religiosidade,

Deitem minhas palavras sobre o solo contaminado,

Tranquem meus desabafos dizendo que são meros pessimismos,

Joguem! Apostem! sim, apostem tudo!

E tenham certeza que não vencerei,

Eu comigo mesmo,

cria-se vendaval,

Se com você sou pesadelo,

Sozinho sou imortal,

Há um caos que mora dentro de mim,

Luta!

Luto!

Luto com a paz,

Perene paz que reina fora.

 

Willians Ventura
uaaaa_@hotmail.com
willians-ventura

 

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: