Ir para conteúdo
Anúncios

Estalos de Leitura #8 – Rafael de Campos

Já foi o tempo em que ouvir um pastor falar era interessante. Hoje, prefiro as falas mais complexas e menos cheias de certeza. Prefiro as filosofias. Não porque penso e acho nelas algum tipo de salvação. Pelo contrário; nelas o caminho é plural e diversificado. Há muitas portas de redenção ao ser-no-mundo. A mundaneidade, o estar lançado no mundo, é visto antropológica ou ontologicamente e isso produz, visto toda a historia, inúmeros acessos a própria humanidade. Nem descarto a produção teológica, uma vez parte da tentativa do ser-aqui de se redimir de sua própria desumanização.
RCampos…

Política não tem nada a ver com as bestialidades das confissões de fé. O Estado é laico e vivemos em uma condição política chamada Democracia e não uma ‘teocracia’. Portanto, não é a sua interpretação do divino quem dirige as condições politicas para o futuro do Brasil. Deixe que o futuro da sua religião ou crença seja administrada pela sua associação, assembléia ou presbitério – ou seja lá o que for.

Uma vida é pouco para acumular todos os livros que quero; tão pouco, para lê-los.

39594193_2130650293676121_5392615882927112192_n.jpg

Sobre o que é preciso para (re)fundar uma nova filosofia política: um espanto original que causará o estupor de entendimento ao pensamento que, desde sempre em política, se faz plural! Pluralidade num sentido que englobe o todo, e não o todo como privilégio de alguns poucos. (lendo Hannah Arendt)

39467366_2128825007191983_7388975819512610816_n

De fato, a cada ano que passa fica mais claro e evidente que uma vida é pouco pra se viver e amar.

39303865_2125302000877617_4774546999288528896_n.jpg

Parte da matéria sobre a questão da esquerda e da direita na política. Uma leitura em Norberto Bobbio!

Todos somos “marcados” pela solidão.
Desse estado de “só”, onde lugares cheios de conversa, são mais mudos que o silêncio; onde lugares repletos de coisas, são desertos como o ermo.
Onde há voz, mas não se sabe quem fala; onde há habitação, mas não se sabe quem mora.
Solidão: me diga quem és! Me diga quem fala!
Pois preciso saber quem “povoa meu nada”.

Rafael de Campos

Rafael de Campos
elfaracampos@hotmail.com

Anúncios

3 comentários em “Estalos de Leitura #8 – Rafael de Campos Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: