Ir para conteúdo
Anúncios

A Procura da Felicidade

Busquei pela felicidade
Procurei-a em todo lugar,
Caminhei milhas e milhas,
Sem nada encontrar

Não dei viagem perdida
Tenho muito a contar
Experiências com a vida,
Frustrações e decepções a perder de vista

Preciso, como preciso compartilhar

Procurei pela felicidade num Shopping Center, achei que ela estaria nas coisas que posso comprar, passei o cartão, dei-me conta que ali não estava. O sentimento de bem-estar e poder que me invadiu, por instante, fez-me duvidar sobre a presença da bendita… será que era ela? Porém, logo passou. Tal sensação se foi assim que vi outros produtos expostos pelas vitrines. O desejo brotou, e como já dizia Rubem Alves, só desejamos aquilo que não temos.

Mais uma tentativa frustrada, a conta só aumentava. Após essa última decepção, achei que a felicidade estaria nas coisas que não tenho condições de comprar, senti-me culpado. Não só culpado, mas também cansado e enganado. Disseram-me que a fórmula da felicidade era simples, que o mapa para chegar até lá não me dava a possibilidade de me perder. Sempre ouvi que deveria trabalhar muito para poder comprar o que quero, e assim, simplesmente ser feliz. Argumento baseado na terrível e perversa lógica do ter para ser.

Na volta para casa, parado num cruzamento de trânsito, surpreendentemente encontrei a felicidade. Ela estava no sorriso de um menino que fazia malabares no sinal. O garoto franzino estava sem camisa, de bermuda rasgada e descalço.
Como ele pode ser feliz sem ter nada?

Cruzei uma praça e logo vi a felicidade mais uma vez.
Como ela pode estar em mais de um lugar?

Estava bem ali, no aperto de mão de dois amigos, no abraço apertado de um casal de namorados e no olhar de uma mãe que vigiava seu filho ao brincar no parquinho.

Descobri que a felicidade pode estar em qualquer lugar, com qualquer paisagem, com qualquer clima. Não precisa de muito, só de duas coisas: disposição para a felicidade e desapego dos bens materiais, pois basta usá-los para o que for útil. Ser contente é se contentar com o que tem, isso, porém, não é a mesma coisa que se acomodar ou viver na preguiça.

Entendi que a felicidade está no caminho, no percurso, na jornada, nas relações, nos encontros, nas experiências, no acerto e no erro, no processo, na simplicidade, a todo instante.

Que tal encontrar a felicidade?

Que tal viver a felicidade?

Allan Felipe S. de FreitasAllan Felipe S. de Freitas
allanfelipe.psi@gmail.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: