Uns azuis tão azuis:
Cobalto
Cerúleo
Ultramar
( Até se ouvia o marulho)

Rolinhas
Se não revoavam
Pousavam aos pares:
Um só arrulho

O colorido da vida
Cantava alegre barulho

Um dia
Espargiram
O cinza e o silêncio
Por sobre tudo

Teceram-se as teias
Que pendem
Do teto do mundo

Zélia Guardiano
zeliaguardiano@hotmail.com
zelia-guardiano

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: