Fiz minha cama na escuridão
Tendo travesseiros de sonhos
Envolto no silêncio
Naquela costumeira trilha sonora
Interna ressoncia
Agitando pensamentos
Sob os holofotes da memória
Residente no casebre
Reclinado nos sonhos
Na claridade da escuridão
Na escuridão da caridade
Delírio
Tenho asas
Pareço voar
Içando as velas
Sou barco a navegar…
Na viagem me dou conta
Que nada fiz…
Se não na cama me deitar.

Riva Santos
prrivasantos@gmail.com
riva_santos

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: