Os Desafios do Sexo como Tabu

Segundo o dicionário virtual “Significados Online”:

“… os tabus são criados por convenções sociais, religiosas e culturais. São meios de preservar os bons costumes da sociedade limitando a prática de determinados atos ou evitando falar de assuntos polêmicos”.

O Tabu (na sexualidade) é sinônimo de proibições irreflexivas e descontextualizadas, muitas vezes com a boa intenção de manter a ordem e a pureza das relações.

Sem delongas afirmo: precisamos nos libertar dos tabus relacionados à sexualidade, pois eles intensificam a ignorância e os prejuízos que a mesma causa sobre os sexualmente neurotizados. Isso quer dizer que sou libertino e que sou a favor do sexo em todas as suas possibilidades? Claro que não! Jamais pense que vencer tabus sexuais seja o mesmo que viver sem limites e a qualquer preço. A libertação dos tabus consiste no conhecimento da verdade e na desestigmatização que o diálogo aberto e franco sobre os temas da sexualidade pode promover.

O sexo como tabu é alimentado pelo medo, culpa e mistério que se introjeta como se houvesse algo no universo que não pudesse se tornar conhecimento de todos, já que, segundo muitos acreditam, os humanos não estão preparados para tal descobrimento. Isso tem o poder de, não só despertar a pulsão da curiosidade por aquilo que se proíbe sem coerência lógica com o sentido da vida, como também de criar o mau desfrute das possibilidades de alegria e prazer no sexo pelo senso (nem sempre verdadeiro) de transgressão.

As diversas formas de utilização da sexualidade sempre existiram independentemente da existência de tabus na sociedade. Aos que se lembram de outras décadas com nostalgia devido à rigidez dos valores morais impostos pela sociedade, e que afirmam que a “imposição da lei” é a melhor formação dos cidadãos na sexualidade, devem se lembrar que a aparente obediência a tais leis (em tais épocas) não impedia milhares de pessoas de experimentarem casamentos infelizes, traições, estupros, prostituição, etc. Só estou dizendo isso, porque ao meu ver, os tabus sociais não contribuem de forma alguma para a conscientização sexual das pessoas.

Concordo com o apóstolo Paulo que regras, como um fim em si mesmas, do tipo “não toque” ou “não prove” apesar de terem aparências de sabedoria, não possuem poder nenhum contra a sensualidade (ler Colossenses 2).

Imaginem quantos casais que, por não falarem sobre sexo, vivem infelizes sem compreenderem as crises e angústias de seus respectivos parceiros nessa área da vida? Quantos adolescentes acabaram aprendendo sobre sexualidade da pior forma possível pela falta de diálogo aberto e franco sobre o tema com pessoas maduras e dispostas ao esclarecimento de suas dúvidas?

As escrituras não escondem o assunto “sexo” em seus textos, pelo contrário, há recomendações claras sobre o mesmo, há relatos de experiências pessoais desastrosas nessa área, e até inúmeras referências positivas e celebrativas à sexualidade em determinados contextos. Certos tradutores bíblicos acabaram até mesmo refletindo os tabus da sexualidade em suas traduções, oferecendo palavras cheias de “pudor” quando no original o que está posta é a realidade nua e crua,  sem maquiações, mas independentemente disso, é inegável a referência bíblica de que o prazer sexual em seu contexto de celebração verdadeira ao amor é uma grande dádiva de Deus aos homens e mulheres em seu curto período de jornada terrena.

Você tem medo de falar sobre sexo?

Você tem traumas sexuais?

Há barreiras no desfrute da sua sexualidade?

Eu estou no processo de descobrimento da minha sexualidade e do desfrute dela com equilíbrio e coerência de vida, lido com a educação sexual que recebi de diferentes fontes e com os desafios que todos enfrentamos no século XXI, relacionados ao excesso de exposição sexual, a erotização infantil, músicas que incitam a exploração da sexualidade como um fim em si mesmo (sexo pelo sexo) etc. É com os conteúdos do evangelho e com a busca do bom senso que a sabedoria demanda de cada um de nós, que tentarei tratar de assuntos, por vezes estigmatizados.

Você se considera sexualmente saudável?

Sexo é um tabu pra você?

Espero sua contribuição nos COMENTÁRIOS desse post (logo abaixo). Caso não queira se identificar basta colocar “Anônimo” na caixa de texto “Nome”.

rodrigo campos biblioteca

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s