A vida tem seu próprio tom
Há muitos eventos neutros
Que são o que são
O que dá a cor é a maneira como os vemos
O que muda é a interpretação
A interpretação explora inúmeras possibilidades
Podemos ver como bom
Podemos entender como mau
Podemos simplesmente descrever o ocorrido
Os sentimentos variam
As crenças são múltiplas
Mas um cuidado essencial
É não inventarmos o que não existe
É não criarmos um mundo de fantasia
É não produzirmos sentimentos daquilo que não existe
Nossa imaginação é fértil
Nossos pensamentos possuem muitas ferramentas
Mas no final das contas, o que conta é a verdade
A realidade é quem deve pautar nossas interpretações
Cabe a cada um buscar coerência nas interpretações
Senão agimos e sentimos como um magro que se acha gordo
Como um inteligente que se vê como burro
Como uma linda pessoa que se acha feia
Acabamos vivendo num mundo à parte
À parte da realidade, no mundo da lua, no universo que criamos
Mas não no universo das possibilidades reais.

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: