Por que tenho dedicado tanto tempo escrevendo artigos, gravando vídeos e diálogos sobre o tema “Religião, Espiritualidade, Jesus, Cansados de Igreja, etc”?

1º Esses temas fazem parte de minhas reflexões diárias (a boca fala do que está cheio o coração),

2º Tenho encontrado milhares de pessoas na caminhada que precisam de suporte para superar seus traumas religiosos e ressignificarem sua fé,

3º Por muito tempo religiões teoricamente embasadas em Jesus afirmaram que não havia relacionamento com Deus fora de suas instituições e de seus limites de atuação e causaram muitos males (traumas e angústias) a muitos.

4º Porque cuidar de pessoas esclarecendo, orientando, tratando de suas crises é a minha vocação pessoal de vida.

5º Estamos diante da oportunidade de melhorar o nosso entendimento sobre o que de fato Jesus veio fazer em nós e através de nós enquanto vivemos esse curto período de tempo de vida nesse mundo.

6º Tenho presenciado milhares de pessoas, em todo o mundo, vivendo em gratidão e plena alegria, por estarem vivendo hoje em uma nova condição de paz e harmonia com Deus depois de lidarem com muitos complexos, prisões psicológicas e limitações espirituais, advindos de anos de condicionamento mental.

7º Entre o ateu confesso e o cristão institucionalizado existem milhares de pessoas em vários estágios de percepção: esfriados na fé e no amor, e também há os que prosperam em sua fé, mesmo fora dos ambientes religiosos (por estarem cansados do jeito de as religiões lidarem com a vida, com as pessoas e com os desafios da caminhada na fé), dentre os quais eu me incluo.

O objetivo é criar uma nova religião, é abrir mais uma denominação, é estabelecer mais um conjunto de regras, dogmas e normas eclesiásticas? Absolutamente não. O objetivo é crescermos no entendimento de que Jesus não fundou uma religião, nem um corpo de dogmas e estatutos institucionais, mas sim mostrou um caminho, um jeito de se viver no mundo; e esse jeito é baseado no mesmo amor que Ele derramou por nós e na mesma forma livre e poderosamente graciosa de lidar com as próprias demandas da existência e de lidar com o nosso próximo.

Nunca estive tão convicto de que o tempo de curar as feridas e de sermos libertos das cadeias espirituais é chegado, e o tempo de anunciar as boas notícias de salvação a todos sem acepção, do religioso ao não-religioso é agora! Anunciar como? Com a vida e com as palavras advindas do bom senso, equilíbrio e da mesma sensibilidade de Jesus.

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: