O que significa oferecer a outra face?

Oferecer a outra face não significa, só e somente, propagar uma mensagem anti-violência. Quando Jesus ensina o ato de oferecer a outra face, Ele não só evidencia os benefícios de não revidar em determinadas situações. Ora, o entendimento da maioria das pessoas estaciona na objetividade de que o Evangelho cultua o sempre apanhar.

É como se Deus ensinasse seus filhos o culto à fragilidade e submissão diante de um perverso…

O que o Evangelho expõe é o ensinamento de não lutar contra um perverso utilizando-se das mesmas armas com as quais você está sendo atacado. Pois, geralmente o perverso tem o “controle” e poder da situação. Assim era na época de Jesus. Os perversos detinham o poder imperial romano, religioso  e/ou regional e satisfaziam suas perversidades oprimindo àqueles que nada podiam contra esse “trator” dominante.

E , contra esses, Jesus diz:

Se te der um tapa, ofereça a outra face: fuja dos que, perversamente, buscam ferir. Ferir com a fisicalidade, palavras, opressões. Não os dê ocasião!

Se demandar sua túnica, dê também a capa. Não enfrente com oposição explícita os que, detendo o poder, podem demandar “coisas” à você. Ou seja, “dê um boi para não entrar nessa briga e uma boiada para não entrar também” (Caio Fábio).

Se com o poder te obrigar a andar mil passos, ande com ele dois mil.

Jesus sabe que se nós enfrentarmos os perversos com as perversidades que somos atacados, nos perverteremos à ponto de nos tornarmos semelhantes àquele que nos oprime. O processo de atacar com as mesmas armas que o opressor , gerará ódio, catalisando o seu processo de transformação em um perverso. Aceitar o convite para a luta é condição para que a perversidade ganhe a disputa. O desencadear da situação perpetuará mágoas e deliberações sobre futuras vinganças.

Contra o perverso é assim: vença pelo cansaço! Ele está te chamando para a morte, logo, não aceite!

O Evangelho quer criar fundamentos no coração. Na subjetividade. Não permita que a perversidade usada contra você perverta o teu ser. Aceitar o convite para morte é suscitar a gênese de mágoas e vinganças,  elementos tais, que oprimem principalmente quem os possui.

Tudo que o perverso quer é que você resista/revide. Não odeie o perverso a ponto de lutar. Só devemos pelejar o bom combate, portanto, evite batalhas desnecessárias.

Amar o perverso não significa gostar da pessoa. Amar o perverso significa discernir que ele possui uma consciência ainda muito atrasada e “arcaica ” quanto aos bons valores de vida. Logo, não o ataco com o mesmo ódio que recebo. Mas, venço por um metralhar de apaziguamento interior que desvia o caminho e ganha a disputa cansando o oponente em amor. Uma hora ele não vai aguentar mais tanto des-caso amoroso!

E é lindo ver Jesus praticar o que ensina, afinal, ele não era um esquizofrênico. Está em João cap.18:

Jesus estava sendo interrogado pelo sumo sacerdote sobre as coisas que dizia à população. Interrogatório sob pretextos cínicos, pois, o sumo sacerdote sabia bem sobre tudo que Jesus falava. Ao qual Jesus respondeu:

A população pode testemunhar sobre o que digo. Nunca escondi. Nunca ocultei. Sempre falei abertamente e com a “cara limpa”. Então, por que está me interrogando sobre isso?

Diante disso, um guarda esbofeteou Jesus e o oprimiu.

E o que Jesus faz? Ele não resiste/agride à forma esperada. Ele
ataca expondo a ignorância e insignificância do ato do guarda:

Se eu falei mal ou menti, mostre o meu erro. Mas, se digo a verdade, pq me agride?

Em outras palavras, a verdadeira luta não é contra “carne e sangue”,mas, contra o espírito da perversidade que “paira no ar” . O guarda é só uma vítima de si mesmo que expõe seu desentendimento da vida através de agressões, é só alguém que vive se atropelando por ae… contra tal, não enfrente diretamente com as mesmas armas

É Deus aceitando todas as agressões e ofensas com o intuito de nos mostrar que o caminho do Evangelho, o caminho da dilatação interior, é possível…

Vc vem lutando a boa luta?

Quantas de suas brigas não são apenas revides perversos contra perversidades?

Arvore ser um Muhammad Ali das lutas perversas e , levando o tempo que for, não se perverta, mas, vença pelo cansaço do adversário

Através Dele, que por nós, aceitou ser Deus tomando cuspe e tapa na cara, porém, evidenciando a sabedoria da serenidade interior…

Marcelo Bark
marcelobark@yahoo.com.br
marcelo-bark


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s