Pensamentos Aleatórios #25

A preocupação é contraproducente, ou seja, ela não ajuda na solução do problema em questão, pelo contrário, a dificulta ainda mais. Jesus ensinou que são os que não conhecem a Deus que vivem em constante estado de preocupação, e mais, afirmou que é impossível que as sementes do Reino de Deus penetrem um coração tomado pelas preocupações desta vida. Só se vence a preocupação confiando e descansando no caráter de Deus. É isso que lhe fará dormir em paz, mesmo o barco estando sendo fustigado pelos ventos e tempestades.

Na oração que Jesus ensinou o Pai é nosso, o perdão é nosso, as dívidas são nossas, o pão é nosso, as tentações são nossas, o livramento do mal também é nosso, mas a gente insiste em colocar o “eu” como a tônica da nossa existência. Por isso, só quem nega a si mesmo pode de fato segui-lo, só dá pra segui-lo carregando nossos irmãos conosco!

Quando o evangelho é plantado e enraizado em nós, todas as tentativas externas de impedi-lo de crescer se tornam nulas e ineficazes. Quanto mais perseguição há, maior a nossa convicção de que estamos no caminho certo; quanto mais açoites levamos, mais gratidão a Deus há pelo privilégio de participarmos dos sofrimentos de Cristo.

Unidos, vivendo em amor somos mais fortes. Divididos, cada um buscando seu próprio interesse, somos mais fracos. Um Reino dividido contra si mesmo não subsistirá!

A radicalidade da habitação de Deus em nós nos conduz à consciência de que ainda que sejamos deixados de lado pelos amigos, pelos pais, ou mesmo pelos nossos irmãos, Ele todavia nunca nos desampara, nunca nos abandona, nunca nos trata com desprezo, Ele mora em nós e estará em nós pra sempre!

Não sou dos que demonizam as comunidades formalizadas, tampouco dos que desprezam grupos que se reúnem informalmente. Vejo a graça de Deus se manifestando de muitas formas, jeitos e maneiras. O evangelho não cabe em modelos e pacotes, por mais que a gente tente fazer caber.

Quando descobrimos nossa vocação e a exercemos com diligência e inteligência, o bom perfume de Cristo é sentido em nós e os bons frutos da videira são colhidos em nós alimentando assim, todos os que deles precisam.

Eu pensava que amar a Deus era levantar as mãos de olhos fechados e ficar cantando de dia e de noite músicas de louvor, até que conheci Jesus, e não vi ele fazendo isso em momento algum, com ele aprendi que amar a Deus é abrir os olhos e decidir caminhar acolhendo o próximo que está caído na beira do caminho, com ele aprendi que amar a Deus é ser servo do outro para seu crescimento e transformação!

Enquanto Jesus for apenas uma informação, uma história, parte integrante do “folclore cultural ocidental”, um personagem do imaginário popular, um amuleto que usamos em nosso benefício na hora da dificuldade e um símbolo da religião tradicional da nossa família, nada muda essencialmente em nós, nada transforma nossa visão de mundo, nada nos habita como convicção visceral. Mais do que nunca, é preciso nascer de novo, é preciso mergulhar na transcendência, é preciso que Deus de fato habite em nós pelo Seu Espírito, é preciso que haja relacionamento íntimo e sincero que envolva entrega, oração, aceitação de Sua vontade e submissão ao amor como estilo de vida.

Nossa tendência é estimularmos a competição, o evangelho nos convoca à cooperação.

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s