A noite silencia os ruídos das ruas
Aquieta as agitações de dentro
Traz a vida iminentemente nua

Enquanto que a luz mostra os entes externos
A escuridão nos leva pro interior de nós mesmos
Faz perscrutarmos as camadas e lugares ermos

É o ápice das escolhas que fizemos
Cada gesto, ações e pensamentos
Se valeu a pena viver como vivemos

Vem noite de escombros
Vem bela, trazer aos meus ombros
O encontro com o som dos meus antros
Sem medo encarar os meus sonhos
Vou superar cada um dos monstros medonhos

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: