Ir para conteúdo
Anúncios

Tesouros e Doenças Psicossomáticas

Síndromes, depressões, angústias e ansiedades são o quarteto fantástico que subtraem grande parte da energia psicofisiológica de quase todos os seres humanos.

Síndromes com seu aglomerado composto por traumas, disfunções bioquímicas/fisiológicas e medos existenciais…

Depressões com suas causas “sem causa”, através de circunstâncias pontuais passadas, por desequilíbrios hormonais e situações presentes avassaladoras…

Angústias e seus problemas relacionais: trabalho, família, casamento, filhos, estudos…

Angústia tem sua origem no latim “angere”. Angere significa apertamento, estreitamento, sufocamento. Angústia é quando seu corpo já está tão atolado de problemas, geralmente, interpessoais, que quase não há mais espaço para você mesmo dentro do seu próprio coração.

Ansiedade. Em minha opinião, a origem da grande maioria dos problemas. É o carro chefe promovedor das doenças psicossomáticas. Ansiedade é o desejo apressado de tornar o futuro, presente.

As doenças psicossomáticas são problemas que têm sua gênese na mente/alma/psiquê. E disparado o gatilho da ansiedade descontrolada, afetam o corpo de forma objetiva.

Alguns exemplos de doenças com origem na mente e que podem se manifestar sobre o corpo:

-Sistema Cardiovascular (hipertensão, taquicardia e angina)

-Sistema Gastrointestinal (úlcera, gastrite, retocolite)

-Sistema Endócrino/metabólico (diabetes)

-Sistema Dermatológico (dermatite urticária)

-Sistema Respiratório (asma, bronquite)

O Método Preventivo e Terapêutico que aqui vou expor tem relação com os Tesouros e Riquezas que objetivamos e alimentamos ao longo de nossas vidas.

Antes, apenas uma pergunta:

Qual é o seu tesouro?

Conhecendo intimamente os males psicológicos e espirituais que nos cercam, Jesus nos dá a “chave do castelo” para que consigamos discernir os corredores escuros de nossa mente.

Essas palavras se encontram entre o capítulo 5 e 7 do Evangelho de Mateus.

E, discursando diante de uma galerinha, Ele informa:

Não acumulem tesouros aqui na Terra, pois, eles passam, se corroem, desfalecem, se perdem, são roubados. Todavia, conquistem tesouros no céu. Tesouros atemporais, tesouros eternos, tesouros da sinceridade, tesouros apaziguados, tesouros absolutos. Riquezas que não podem ser perdidas, roubadas, afetadas pela temporalidade e circunstâncias.

Jesus cita a palavra “céu” demonstrando a realidade do “lugar dos não lugares”.

E Ele continua a reflexão:

Porque onde estiver o teu tesouro/riqueza, aí também estará o teu coração.

Estamos no Epicentro dos Terremotos da Ansiedade, leia mais uma vez:

Onde estiver teu tesouro, aí estará seu coração. Onde estiver o que você considera sua riqueza, nessa mesma direção, estará todo seu bombeamento sanguíneo e gasto de oxigênio existencial.

Ok. Você poderia questionar:

Por que Jesus fala do acúmulo de riquezas/tesouros aos seus discípulos? Não seriam eles, em geral, pobres? Então, sendo eles em grande parte não abastados monetariamente, tais reflexões seriam dispensáveis.

Não são! Vou explicar…

Jesus não apenas fala de riquezas e tesouros materializados e que se manifestam através de dinheiro, propriedades, carros, cargos…

Jesus nos traz à luz a subjetividade de nossas riquezas.

Qual é a “coisa”, que se fosse tirada de sua vida, suscitaria um des-trilhar do seu ser?

Qual é o “treco”, que se arrancado de ti, promoveria um deslocamento impactante em sua rotina?

O seu tesouro é algum laço afetivo?

O seu tesouro é algum objetivo profissional?

O seu tesouro é alguma virtude surpreendente?

O seu tesouro é algum vício?

O seu tesouro é sua inteligência?

Sua capacidade de despertar o aplauso da maioria?

O seu tesouro é o seu corpo?

Suas vaidades?

Qual é o seu tesouro? Pois, a partir dele, saberemos onde estão todas suas intensidades, determinações, pulsões e trabalho de vida, em outras palavras, saberemos onde está seu coração.

O que Jesus quer dizer é o seguinte:

Cuidado com o que você chama de meu tesouro, meu amor, meu amigo, meus objetivos, minha vida, minhas qualidades, pois, quando colocamos como “Tesouro absoluto” algo que se desfaz com o tempo, com a vida, com as circunstâncias, com os “ladrões”, estamos construindo nossa casa sobre a areia…

As coisas, pessoas e objetivos são todos amores relativos. Devem ser amados com toda sinceridade e carinho, porém, não podem ser o seu Tesouro. Pois, as relatividades se transformam, mudam, se vão, enganam, traem e desapontam. Logo, se o seu tesouro for um Amor Relativo, a ansiedade é certa. Ansiedade, pois, não se tendo a confiabilidade total nas relatividades, o desejo apressado de fazer com que o futuro chegue logo é a mais provável consequência. E com ela, a cronicidade do estado mental doentio, logo, desenvolvimento de doenças psicossomáticas.

Nosso único Tesouro deve ser o Senhor. Pois, Através dele, mesmo que nos mostremos infiéis, Ele permanece fiel. Pois, não pode negar a Si mesmo. O Senhor nunca nos decepcionará. O Senhor é o nosso refúgio. Ele é nossa riqueza. Todas as outras riquezas são relativas. E devem ser amadas com toda sinceridade do seu coração, se ao passarem pelo crivo do Evangelho, forem saudáveis para vida.

Se Deus for o seu Tesouro, Nele estará seu coração. E gente, se isso se torna uma realidade de vida, doença mental alguma tem poder sobre nós …

Não sei se vocês sabem, mas, o diabo já não possui poder sobre nós, senão, o poder da sugestão que mora na porta da oportunidade que nós mesmos oferecemos…

E qual é a porta da oportunidade?

Jesus segue dizendo que nossos olhos são a lâmpada da alma. Se nossos olhos forem ruins, todo corpo estará em trevas. Se os olhos forem bons, todo corpo terá luz. E, se o que nos habita for trevas, essas trevas serão avassaladoras.

O que isso significa? Qual a relação com o tesouro e com a “porta da oportunidade”?

Se o nosso tesouro for um Amor Relativo, a ansiedade, bem como, todas as doenças mentais, são o ponto de chegada. A partir do momento que o tesouro relativo é perdido, todo seu coração também se perde, pois, o fundamento do coração se foi juntamente com o tesouro. Nessa, as doenças se amplificam e, os seus olhos enxergam toda situação de modo doentio, gerando trevas/escuridão ao teu ser. “Os olhos ” significam “interpretação “. Quando sua interpretação é ruim, ou seja, consequência de apostar todas as fichas em uma relatividade, todo seu entendimento, ação e vida se tornam trevas.

A “porta da oportunidade” entra bem aí. A mesma porta que Judas deixou aberta. Quanto o diabo percebe que pode trabalhar em conjunto com os nossos próprios pensamentos, as doenças mentais se instalam. E o “legal ” disso é q o próprio diabo se faz de “figurante”, pois, você mesmo se tornou o diabo de sua própria existência.

A única prevenção e terapêutica contra diabolismos mentais que eu conheço se chama Evangelho. O resto, por mais que acalmem, são apenas métodos paliativos que não lhe informam sobre o seu autoengano.

Com todo o amor, pense nisso! Eu venho pensando.

Através Dele, que todo “enciumado”, quer ser o Tesouro e Amor absoluto em nós!

Marcelo Bark
marcelobark@yahoo.com.br
marcelo-bark

Anúncios

2 comentários em “Tesouros e Doenças Psicossomáticas Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: