Ir para conteúdo
Anúncios

Fé Cristã

Os seis primeiros capítulos do evangelho de João deixam claro para nós quem é Jesus e o que devemos ser. Jesus vem para anunciar e estabelecer uma nova aliança com a humanidade, ele parte de Israel (pois nasceu e cresceu no mundo judeu), mas progressivamente vai alcançando a todos, sem distinção, sem acepção de pessoas, vai anunciando as características da vida que Deus aceita como “agradável”.

Análise de cada capítulo:

Em João 1 temos a informação de que tudo foi feito por Jesus, Ele não é apenas um homem, Ele estava no princípio de todas as coisas, e antes de sua encarnação, João preparou o caminho, anunciou que a luz chegaria. Ao chegar, cheio de graça e de verdade, não foi recebido pelo mundo com a consciência desejável, pelo contrário, foi rejeitado e humilhado, tratado com desprezo, mas os que o receberam Jesus, lhes deu o direito de se tornarem filhos de Deus. Jesus é a expressão exata do ser de Deus, é aquilo que de Deus pode se conhecer, é a figura possível à nossa compreensão! Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Dois dos discípulos de João acompanharam Jesus, passaram 1 dia com Jesus e saíram de lá dizendo: “Achamos o Messias”.

Observação: João Batista é o sumo-sacerdote de Deus. Quando Deus viu que o templo em Jerusalém estava corrompido pelos interesses financeiros e políticos dos líderes judaicos, Ele levou seu sumo-sacerdote ao deserto e anunciou de lá a verdadeira profecia: “Eu os batizo com água para arrependimento. Mas depois de mim vem alguém mais poderoso do que eu, tanto que não sou digno nem de levar as suas sandálias. Ele os batizará com o Espírito Santo e com fogo. Ele traz a pá em sua mão e limpará sua eira, juntando seu trigo no celeiro, mas queimará a palha com fogo que nunca se apaga”. Mateus 3:11,12

Em João 2 encontramos Jesus em uma festa de casamento. Sim! O Salvador do mundo não é como os religiosos do templo, não se identifica com a figura de um “mestre da Lei”, Ele dança, canta, se alegra, come e bebe celebrando a vida com aqueles que estão vencendo as etapas da vida. E quando a festa corre perigo, quando chega a informação de que a alegria inicial do casamento pode dar lugar à tristeza do desastre do vinho que se acabou, Ele simplesmente intervém milagrosamente, salvando o noivo do vexame, transforma cerca de 300 litros de água em 300 litros de vinho. Jesus não se parece em nada com o um fariseu, saduceu, herodiano, nem como um dos líderes das sinagogas. Depois disso, Jesus desceu a Cafarnaum com sua mãe e seus discípulos, ficaram alguns dias até que chegou a festa da Páscoa. Ele subiu a Jerusalém, foi ao templo e deu de cara com o mercado da fé. Não eram muitos, mas Jesus sabia que “um pouco de fermento leveda toda a massa”, ele fez um chicote de cordas, expulsou todos do templo e denunciou qual deveria ser o espírito da fé judaica, qual significado deveria haver naquele templo, e anunciou uma mudança de paradigma: anunciou seu próprio corpo como verdadeiro templo de Deus. “Destruam este templo, e eu o levantarei em três dias”. Os judeus responderam: “Este templo levou quarenta e seis anos para ser edificado, e o senhor vai levantá-lo em três dias?” Mas o templo do qual ele falava era o seu corpo. Depois que ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se do que ele tinha dito. Então creram na Escritura e na palavra que Jesus dissera”. João 2:19-22

Em João 3 lemos o encontro de um expert, doutor, PHD na Lei, um teólogo que conhecia todas as letras, vírgulas, contextos dos textos, multiplicidades de interpretações e aplicações dos textos judaicos do Antigo Testamento, com Jesus, o carpinteiro de Nazaré. Mais uma vez nos deparamos com a insuficiência da religião, com a superficialidade daqueles que se dedicam apenas aos livros mas que não se abrem em fé para entender e encarnar o Espírito da letra. Mesmo com tantas informações na memória, Nicodemos não tinha “o conhecimento”, mesmo possuindo inteligência e capacidade de ensinar outros, lhe faltava “a experiência” essencial transformadora, era necessário nascer da água e do Espírito, ele precisava nascer de novo! Ouso dizer que é exatamente isso que está faltando à milhares de religiosos de nosso tempo, nascer de novo! Como é possível sermos uma nação onde 87% da população se considera cristã e vermos ao mesmo tempo, as estatísticas de violência, corrupção, aumentando a cada ano? Só há uma resposta: falta novo nascimento! Nos tornamos especialistas nas doutrinas “certas”, nos rituais sagrados “certos”, nos discursos “certos”, nas aparências de piedade, sabemos as histórias bíblicas de cor e salteado, colamos adesivos em nossos carros, publicamos mensagens de fé no Facebook, passamos pra frente todo tipo de correntes de Deus pelo Whatsapp, mas ainda nos falta nascer de novo. Disse Jesus: “Você é mestre em Israel e não entende essas coisas? João 3:10. Em suma, o novo nascimento provoca em nós aquilo que João falou: “É necessário que ele cresça e que eu diminua”. João 3:30

Em João 4, Jesus vai na direção de uma Samaritana. Ele quebra o paradigma “homem/mulher” “judeu/samaritano”, Ele não tem medo de ser tido como impuro, tampouco como candidato à ser o sexto marido daquela mulher, Ele simplesmente se aproxima, puxa conversa e recebe de volta um coração disponível, quebrantado, disposto a anunciar o que aprendeu, a apresentar outros a Jesus, diferentemente do resultado da conversa com o religioso Nicodemos. Veja o que Jesus falou, sua importância e aplicações para a vida de seus discípulos: A água de Jesus é o sentido da vida que nossa alma tanto procura nas coisas deste mundo “mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pelo contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”. João 4:14; não há mais lugarização da adoração, tudo o que fazemos numa consciência espiritual e pautados na verdade é agradável a Deus “creia em mim, mulher: está próxima a hora em que vocês não adorarão o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém… no entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”. João 4:21,23,24 Depois que seus discípulos retornaram, Ele disse outras coisas valiosas: O que deve nos saciar na vida é estarmos cumprirmos a missão dada pelo Pai “Disse Jesus: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra”. João 4:34; há corações por toda parte sedentos da mensagem do evangelho “Abram os olhos e vejam os campos! Eles estão maduros para a colheita”. João 4:35

Em João 5, Jesus vai a Jerusalém para uma festa dos judeus, mas antes de entrar no templo, os olhos de Jesus se voltaram para um tanque que havia em uma das portas cidade onde ficavam todo tipo de doentes, esperando por um milagre por meio de um anjo que segundo o que criam vinha agitando as águas e curando o que conseguia chegar primeiro. Jesus não se deteve em reafirmar nem desmentir a crença popular, simplesmente se aproximou de um homem que há 38 anos estava paralítico e o curou. Os judeus ficaram irritados pois Jesus realizou esse milagre no sábado! Então veja: Jesus está preocupado em cuidar de pessoas, em lidar com as suas dores, angústias, crises, os religiosos estão preocupados com doutrinas, rituais, dias sagrados. Jesus valorizava o ser humano e se dedicava a eles, os religiosos valorizavam as regras e estatutos da religião e se dedicavam à mantê-las vivas e obedecidas. O veredito de Jesus é justo quando disse “vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito; contudo, vocês não querem vir a mim para terem vida”. João 5:39,40

Finalmente, no capítulo 6 de João, há a multiplicação de pães e peixes. Alguém doa seus cinco pães de cevada e dois peixinhos, e nas mãos de Jesus isso alimentou uma multidão. O que é que você tem nas mãos? Uma pequena sala onde pode reunir pessoas? Uma pequena habilidade de ler e interpretar a mensagem de Jesus? Uma singela capacidade de receber, acolher e ser hospitaleiro? Uma doce disposição de ouvir o outro nas suas dificuldades? O que você tem nas suas mãos? Parece pouco? Nas mãos de Jesus não é. Jesus deu graças pelo que tinha em mãos e repartiu! Dê graças e reparta! “Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de aprovação”. João 6:27  “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede”. João 6:35 Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre. Este pão é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo”. João 6:51 Nós que dizemos ter crido e provado do Pão da vida, precisamos repartir, não podemos negar isso aos milhares de famintos, isso seria um pecado!

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: