Viver pela fé não significa que você está totalmente no escuro, sem saber onde sua vida vai dar. Você pode não entender a forma, os jeitos, as circunstâncias, mas já sabe onde a história vai te levar, pelo menos nas questões mais essenciais.

Não somos chamados a viver a esmo, à mercê dos ventos, como camaleões que se adaptam a tudo e todos para não desagradar a ninguém, vivendo sem identidade. Somos chamados à uma construção interior que nos torne seres humanos mais autênticos, mais parecidos com o Filho de Deus que, enquanto esteve em carne e osso aqui, ensinou como é ser gente de verdade!

Pela fé temos a confiança de que quem começou essa obra em nós, há de completá-la; pela fé nos sabemos acompanhados na jornada (nunca sozinhos); pela fé não tememos o futuro nem as más notícias, pois não estamos firmados em crenças nem em crendices populares infundadas e superficiais, estamos falando de fé, de confiança e submissão visceral àquele que disse: eu sou a ressurreição e a vida, aquele que crer em mim ainda que morra viverá!

Ou se crê nisso verdadeiramente e vive de forma substancial, ou se é apenas simpático a isso e vive apenas de rótulos, aparências, mas nunca experimentando o poder da ressurreição no cotidiano da vida.

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

3 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: