Não perco a mania:
Ainda carrego
O velho estandarte
(Destarte
Encontro quem ria)

A despeito
De estarem desfeitos
Os tamborins
Destruídos
Os pífaros
E beberem
Os outros
Os melhores vinhos
Saio

Apesar
De ter seca
A garganta
Canto matinas

Os sinos repicam

Zélia Guardiano
zeliaguardiano@hotmail.com
zelia-guardiano

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: