Sou o silêncio

O silêncio das horas

O silêncio dos dias

O silêncio da existência

Me calo diante do teu silêncio

Ouço as palavras não ditas pelo teu silêncio

Ouço a vaga silenciosa

Vagueio no silêncio da noite vazia

Toco o silêncio do esquecimento

Pereço na dor do teu silêncio

O peso do teu silêncio me consome

Sou o silêncio das verdades caladas

Das mentiras não ditas

Mal ditas, malditas

Mal (dito) silêncio.

Vânia Mescua
vaniamattos1966@hotmail.com
vania-mescua

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

4 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: