Que o amor seja simplesmente inteligível

Que o fim venha tão somente em último caso

Que as formas firmes de seu corpo se esvaiam

E que eu não note este acontecimento por olhá-las todos os dias

Que a saudade seja a única angústia

E que os poucos minutos de distância sejam a única mágoa

Que o Sol só toque seu corpo nu em minha presença

Que sejamos consolo e consolador um do outro

Que tuas lágrimas sejam minha tristeza

E que os teus pesares sejam expressos por minha tez

Que nossos corpos sejam dois de fato, para caber tanta felicidade

Que “sempre” signifique “eterno”

E que “tão” signifique “mais que muito”

Que minhas mãos sempre tenham acesso ao teu ser

E que teu calor se confunda com o meu

Que assim seja

E que, tudo isto, eu mereça.

Paula Hanke
paula.hanke1987@gmail.com
paula-hanke

1 comentário

  1. Pingback: escreversonhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: