O tempo está se formando

O calor do ar umedecido irrita os passageiros sem paciência
Após um trovão forte, as águas caem torrencialmente
Todos, então, fecham as janelas soltando blasfêmias incontáveis
O calor aumenta
O tráfego para!
O motorista é automaticamente culpado
As pessoas começam então a falar mais alto que os motores
Alguns, os que se lembram, exibem sua crença fazendo o sinal da cruz ao passar perante a catedral
A viajem segue
Os passageiros correm para os seus destinos após o desembarque preocupados sempre em não se molhar
Os guarda-chuvas se tornam inúteis
E a chuva continua numa luta natural de tentar esfriar a ilha de calor criada por esses homens ingratos.
Felipe Farah
felipefarah12@gmail.com
felipe

Escrito por Rodrigo Campos

Um caminhante que está disposto a aprender com os erros e acertos, refletindo quais são as verdadeiras importâncias da vida e sua essência!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: