Há muitos outros a serem cuidados
Outro que está enfermo
Outro que está desempregado
Outro que se sente ameaçado
Outro que está apaixonado

Amem uns aos outros
Outro que se vê ansioso
Outro que em paz se sente preguiçoso
Outro que caiu no conto prazeroso
Outro que se perdeu no prato saboroso

O seu próximo como a ti mesmo
O “ti mesmo” às vezes é o seu outro
Como um cego pode guiar outro cego?
Às vezes o silêncio, a reclusão, o monte da oração
A não comunicação é amar e cuidar do “ti mesmo”

Ora deixamos o “ti mesmo” pelo outro
Ora deixamos o outro pelo “ti mesmo”
Não se sinta menor quando precisar parar tudo
Não se sinta maior quando estiver a todo vapor
Entenda seus limites
Entenda os limites do outro
Socorra a ti mesmo
Socorra quem precisa de socorro!

Rodrigo Campos
Um Caminhante Aprendiz
200x200

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: